domingo, 29 de julho de 2007

Quantas vezes você viu se amor sendo transformado em flores do mal?





Não me atire no mar de solidão
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos
Não me retalhe em escândalos
Nem tão pouco cobre o perdão
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão
Que acabou feito um sonho
Foi o meu inferno, foi o meu descanso
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal
Huummm....
Não me atire no mar de solidão
Você tem a faca, o queijo e meu coração nas mãos
Não me retalhe em escândalos
Nem tão pouco cobre o perdão
Deixe que eu cure a ferida dessa louca paixão
Não me esqueça por tão pouco
Nem diga adeus por engano
Mas é sempre assim
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal

(Flores do Mal, Barão vermelho)

sábado, 28 de julho de 2007

Que porra é a fase Barão Vermelho?



As novelas recorrem a um recurso bastante interessante para tematizar as cenas dramáticas e amores: o uso da música. Engraçado como a gente faz isso no dia-a-dia e nem se dá conta, tipo: música quando se está feliz, com dor de cotovelo, para refletir...E a fase Barão Vermelho vem justamente atrelada a essa idéia de música que dizem um pouco de como estamos, quem somos, o que queremos ou o que estamos pensando. Especificamente uma fase direcionada a aquelas "caras metades", frutos de histórias mal resolvidas, em que você já está pronta para dizer: vai À MERDA. Uma fase que você está mais segura, cansada de grandes dilemas, querendo apenas ser feliz sem complicações. E como nos alcoólicos anônimos, quer se libertar de vícios e fazem um pensamento afirmativo:"Por hoje só mais um dia..". E que esses dias sejam muitos longe de você, de suas dúvidas e de seus modos insuportáveis.

1a. FASE...
Eu não estou aqui pra brigar com você
E nem pretendo mais me aborrecer
Embora eu ache que era a hora
Depois de toda essa demora
Que não foi capaz de me adormecer
Nossas almas gêmeas então mudaram de tom e cor
Nossa cela já não tem mais chave mas você ficou
No meio da sala perdida e só sem uma direção
E meio cansada de ver fugir num instante tudo que sonhou
E tudo que eu tentei fazer
Pra te ver mais feliz
E tudo que eu tentei esquecer
Eu fiz também por mim
(...)
Caímos numa armadilha rara
Sem alma sem sede e sem reação
Agora é tarde pra ter volta
Estamos ainda em nossa casa
Longe da alegria e mais perto da dor
(Cara a Cara, BARÃO VERMELHO)


2a. FASE

Becos escuros

Ruas desertas

Sombras, sussurros

Noites e frestas

Frio na espinha

Beijos roubados

Sexo e vertigem

Amor e pecado

Tudo que um dia ja foi o motivo

Pra tanto misterio e prazer

Apodreceu nosso fruto proibido

E eu vim aqui hoje so pra dizer

Eu quero te olhar de um lugar diferente

Eu quero a chave

A chave da porta da frente

Eu quero agora e eu quero pra sempre

Restos e sobras

Porta dos fundos

Senhas secretas

Sonhos ocultos

Fugas, mentiras

Culpas e falhas

Muita espera pra

Pouca migalha

Tudo que um dia ja foi o motivo

Pra tanto misterio e prazer

Apodreceu nosso fruto proibido

E eu vim aqui hoje so pra dizer

Eu quero te olhar de um lugar diferente

Eu quero a chave

A chave da porta da frente

Eu quero agora e eu quero pra sempre
(A Chave da Porta da Frente,Barão Vermelho)
3a. FASE: Ser feliz...E deixar os ziquizildos para trás...

terça-feira, 24 de julho de 2007

E quem disse que Super Cine não pode nos dar um boa lição?




 











Assiti em Super Cine um filme ótimo: SOB O SOL DE TOSCANA. O filme conta a história de uma divorciada triste que decide ir atrás dos seus sonhos mais românticos, e, principalmente, esquecer a segurança de sua vida independente na cidade grande. Foi asim que ela decide morar numa casa na cidade de Toscana para nela ver um casamento, ter uma família e alguém para cozinhar...mas antes de ser alcançada por seu sonho ela aprende que é preciso ACREDITAR (ter fé, que para ela sendo cética seria por de mais difícil), TRABALHAR (fazer algo que achava importante ou que gostasse) e ESPERAR...Essa é a pior parte para quem é ansiosa...

Enquanto isso ela conheceu uma italiana que tornou-se sua amiga. Esta contou uma história que vai ter uma profunda relação com o desfecho do filme: quando era criança saiu para caçar joaninhas e não conseguiu pegar nehuma. Até que adormeceu e ao acordar havia um monte de joaninhas sobre ela...A protagonista conheceu um amante italiano e numa primeira e única noite de amor se sentiu como se "joaninhas houvessem pousada sobre ela", mas ele não havia chegado na hora certa na vida da protagonista: desencontro geográficos, uma amiga grávida e abandonada para que cuidasse e um casal de adolescentes apaixonados para fazer o papel de cúpido. Meses depois ela se reencontrar com o amante e descobre que ele havia encontrado um outro amor. Arrasada volta para casa, mas em meio a sua dor resolve ajudar o casal apaixonado. O casamento deste casal se realiza e um vizinho a diz:"Você percebeu que seus sonhos se realizaram? Houve um casamento nesta casa, há uma família nela e alguém para quem cozinhar..." 

Neste momento já era o final do filme e eu estava indignada:MERDA! Bem a cara da realidade mesmo. Os sonhos se realizam, mas nunca são como gostaríamos que eles fossem. Ela largou-se em uma cadeira no jardim SOB O SOL DE TOSCANA e um rapaz em busca de uma escritora americana, a encontra. Ao encontrá-la retira uma joaninha de seu braço, enquanto ela estava de olhos fechados, dizendo: "Espero que não tenha chegado tarde demais e que este não seja seu casamento". Mas ele não havia chegado tarde demais. Pensei: Quanta coisas boas nós vivemos quando menos esperavamos, quando não "caçavamos" sonhos, raridades, as "joaninhas"...?Uma viagem, um bom filme, um trabalho, amores...Quantas coisas boas já aconteceram em nossas vidas quando a gente simplesmente viveu enquanto esperavamos os sonhos nos encontrarem?Lutar é importante, mas esperar também. Mesmo quando parece que somente conseguimos as coisas na "unha"...

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Seria eu uma mulher que ama errado?


Hoje o Programa Vídeo Show apresentou uma matéria em que a personagem Marilda de outro Programa A Grande Família frenqüentava um grupo de bairro chamado:"Mulheres que amam cafajestes". Claro que a feminista que existe dentro de mim gritou:"Imagine!Você não. Isso é coisa de mulheres que perderão completamente a vergonha". Só que fazendo uma análise mais profunda sobre o que é amar errado podemos concluir que necessariamente está condição temporária não existe apenas com mulheres que gostam daquele clássico cafajeste: malandrão, galinha, explorador, enrolador...É uma condição que se manifesta quando "amar demais é sofrer", quando a mulher tem uma dependência pessoal, como se fosse uma viciada. 
 
O cafajeste que as mulheres tanto temiam antigamente, na contemporaneidade são homens complicados que se escondem atrás das caras de coitadinhos, das crises existenciais e das depressões. As mulheres, por sua vez, acham que têm culpa de tudo, até do que não fizeram; suportam qualquer coisa para manter o relacionamento ou então, "comem feito um bicho" e consomem "pelos cotovelos" uma aparência sempre impecável e escravizante. 
 
Quem já não portou essa condição temporária que jogue a primeira pedra... O ruim é quando essa condição de temporária passa a ser permanente. Quem nunca ouviu do SACCN(Serviço de Atenção ao Consumidor Chamado Namorado) reclamações como: 
1)"Você fala demais";
2)"Você é exagerada, come demais, quando adoece parece que vai morrer e compra muito"(quase smepre para agradá-lo); 
3)"Você é cheia de rituais, quando acorda, quando sai...";
4)"Você é preguiçosa prefere fazer programinhas em casa do que ir para um barzinho com os meus amigos";
5)"Você é facilmente sugestionável, qualquer coisa já fica assustada";
6)"Você é desastrada. Não presta atenção no que faz";
7) "Suas brincadeiras são repetitivas, cansativas"; 
8) "Você vive carente"; 
9) Parece o Titanic quando com problemas: se afoga em lágrimas";
9) "Você é convencida";
10)"Não sei o que tem mulher que só faz sexo se a cena for de filme meloso"; 11)"Não sei porque tanta vergonha se a gente se agarrar em público?"; 12)"Você reclama demais";
13) "Você é ciumenta"

...E o que as mulheres geralmente detestam no "consumidor namorado" são os fatos dele: 
1)Ser perdulário com farras;
2) ter humor negro e excessivamente juvenil;
3)Ser egoístas;
4)Estar fora de sintonia na hora de fazer sexo;
5)Ser superficialmente carinhoso;
6)Ser chato;
7) Controlador (regula tudo o que é o que não é certo fazer);
8) Ser chantagista, tabagista etc. 
9)Ser irritadiço, vingativo, impaciente;
10)Gostar de "moído"(sempre tem algo a reclamar, a jogar na cara);
11)Não consegue se colocar no seu lugar;
12)Gosta apenas de programinhas underground;
13)Não reconhece o que faz (o número de reclamações é maior do que o de elogios);
14)Ser inseguro porque quer discutir a relação do ponto de vista dele; 
15)Ser agressivo; 
16)Quando vai dormir só pensa nele quanto ao clima, os lenções...Em síntese: 

O defeito de um amplifica o do outro, potencializando o descontentamento de ambos. E o que fazer nessas situações nas quais existem mais defeitos do que qualidades?Quem se interessar pelo tema: Mulheres que amam errado pode acessar o site http://www.grupomada.com.br/ e dar uma espinhadinha na sessão apresentação para checar se possui muitas das características das mulheres que amam demais e errado...E pode acabar tendo uma surpresa. Fique ligada.


(Des)graça? Não, coluna do meio...


O feminismo trouxe grandes responsabilidade e dilemas que até certo tempo não nos questionávamos, ou pelo menos, não tinhamos coragem para isto. De mulheres com destinos traçados por seus pais, maridos e filhos preocupadas com o lar e a obediência, para autoras e atrizes de nossas próprias histórias. E o que é que a gente faz com isso?Aí e que está! Nem sempre sabemos o que fazer porque ora queremos ser independentes, modernas, livres para experimentar as coisas que a vida nos oferece. Ora queremos carinho, companheirismo, romance...E o pior é que estas mulheres fraccionadas em duas ou em muitas perspectivas/desejos parecem ser partes inconciliáveis, como água e óleo, mas por que?Manía essa da gente em ver o mundo sempre dividido em bem ou mal, certo ou errado, bom ou ruim, direita ou esquerda. E onde é que enfiaram aquele slogan: O mundo é uma aldeia global? Além dos adjetivos como polissemia, caleidoscópio...que viraram moda para descrever o momento que a nossa sociedade vive? Bufe! Balela! Nós ainda estamos impregnados da herança cartesiana expressa num gráfico linear ou senoidal xy. Infelizmente a gente não pode dizer que esta polêmica trata-se apenas de filosofia universitária/ acadêmica porque tem repercussão direta em nossas vidas. "E enquanto isso na sala da justiça" (rememorando o desenho Liga da Justiça), entre sonhos e conflitos, vamos na peregrinação para conseguir um relacionamento, um projeto a dois que NÃO SEJA:

1) Duas partes individualistas traduzidas pela expressão: "Cada um por si...";

NEM:

2) Almas gêmeas resultante de uma simbiose neurótica traduzida, por sua vez, pela expressão, a qual surta em aparecer em algum momento, nem que seja como num flash, nas cabeças até das feministas mais ferrenhas, comum aos cerimonais religiosos, fazendo com a gente deixe de existir completamente para ser o outro: " Como uma só alma em um só corpo";

MAS PARA TER:

3) Um novo projeto de vida para ambos que se propuseram a construir uma nova história, com significado diferente e inovador a partir das perspectivas já existentes e outras novas, podendo ser expresso pela frase: "O todo não é a simples soma das partes, portanto, não pode ser traduzido apenas pelas partes isoladas, nem sem elas..."

Nem a direita, nem a esquerda. Quem sabe a coluna do meio da Zebrinha do Fantástico...Afinal na grécia a Deusa Harmonia, tão ansiada por nós, era filha da Deusa Afrodite, a deusa do amor, e o Deus Ares, o Deus da guerra