terça-feira, 24 de julho de 2007

E quem disse que Super Cine não pode nos dar um boa lição?




 











Assiti em Super Cine um filme ótimo: SOB O SOL DE TOSCANA. O filme conta a história de uma divorciada triste que decide ir atrás dos seus sonhos mais românticos, e, principalmente, esquecer a segurança de sua vida independente na cidade grande. Foi asim que ela decide morar numa casa na cidade de Toscana para nela ver um casamento, ter uma família e alguém para cozinhar...mas antes de ser alcançada por seu sonho ela aprende que é preciso ACREDITAR (ter fé, que para ela sendo cética seria por de mais difícil), TRABALHAR (fazer algo que achava importante ou que gostasse) e ESPERAR...Essa é a pior parte para quem é ansiosa...

Enquanto isso ela conheceu uma italiana que tornou-se sua amiga. Esta contou uma história que vai ter uma profunda relação com o desfecho do filme: quando era criança saiu para caçar joaninhas e não conseguiu pegar nehuma. Até que adormeceu e ao acordar havia um monte de joaninhas sobre ela...A protagonista conheceu um amante italiano e numa primeira e única noite de amor se sentiu como se "joaninhas houvessem pousada sobre ela", mas ele não havia chegado na hora certa na vida da protagonista: desencontro geográficos, uma amiga grávida e abandonada para que cuidasse e um casal de adolescentes apaixonados para fazer o papel de cúpido. Meses depois ela se reencontrar com o amante e descobre que ele havia encontrado um outro amor. Arrasada volta para casa, mas em meio a sua dor resolve ajudar o casal apaixonado. O casamento deste casal se realiza e um vizinho a diz:"Você percebeu que seus sonhos se realizaram? Houve um casamento nesta casa, há uma família nela e alguém para quem cozinhar..." 

Neste momento já era o final do filme e eu estava indignada:MERDA! Bem a cara da realidade mesmo. Os sonhos se realizam, mas nunca são como gostaríamos que eles fossem. Ela largou-se em uma cadeira no jardim SOB O SOL DE TOSCANA e um rapaz em busca de uma escritora americana, a encontra. Ao encontrá-la retira uma joaninha de seu braço, enquanto ela estava de olhos fechados, dizendo: "Espero que não tenha chegado tarde demais e que este não seja seu casamento". Mas ele não havia chegado tarde demais. Pensei: Quanta coisas boas nós vivemos quando menos esperavamos, quando não "caçavamos" sonhos, raridades, as "joaninhas"...?Uma viagem, um bom filme, um trabalho, amores...Quantas coisas boas já aconteceram em nossas vidas quando a gente simplesmente viveu enquanto esperavamos os sonhos nos encontrarem?Lutar é importante, mas esperar também. Mesmo quando parece que somente conseguimos as coisas na "unha"...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...