quinta-feira, 27 de março de 2008

Globalização versus nacionalismo em Edith Piaf




Bem, depois que Marion Cotillar ganhou o oscar de melhor atriz num filme biográfico da cantora francesa de cabarê Edith Piaf, a cantora vem caindo no gosto "popular". Seriam essas uma das vantagens da globalização: num curto espaço de tempo você sabe onde, quando e como. Compartilhamos e vivemos as infomações quase que em tempo real. Pena que muitas vezes as maravilhas européias nos fazem esquecer nossas riquezas, bem mais próximas de nós, que não o Urso de Ouro emTropas de Elite. O fato é que é ótimo conhecermos outras culturas, mas jamais devemos achá-las melhores do que as nossas porque além de diferentes, tais culturas não representam o sonho do Paraíso Perfeito, do tudo ótimo...Não devemos esquecer que lá fora somos vistos como um povo muitas vezes inferior, interesseiro, com "cara" de traficante, ou então, de prostituta. Não é a toa que as políticas de caça e proibição da imigração vêm se intensificado na França. Seja com o presidente francês Sarcozi, ou então, na Espanha quando barrados em aeroportos. Todo país tem suas mazelas e misérias, inclusive os europeus, caso contrário periférias como as da França não eclodiriam em revoltas. Pense nisso! Ah! Mas essas questões não desmerecem nem as músicas de Edith Piaf, que são ótimas, nem outras. A música abaixo pelo menos eu, achei fantástica. Aproveite e veja o link com uma animação com a mesma trilha sonora:






A Quoi ÇA Sert L'amour
Edith Piaf



A quoi ça sert, l’amour?


On raconte toujours


Des histoires insensées


A quoi ça sert d’aimer?


L’amour ne s’explique pas!


C’est une chose comme ça !


Qui vient on ne sait d’oùEt vous prend tout à coup.
Moi, j’ai entendu dire


Que l’amour fait souffrir,


Que l’amour fait pleurer,


A quoi ça sert d’aimer?


L’amour, ça sert à quoi?


A nous donner d’la joieAvec des larmes aux yeux…


C’est triste et merveilleux !


Pourtant on dit souvent


Que l’amour est décevant


Qu’il y a un sur deux


Qui n’est jamais heureux…


Même quand on l’a perdu


L’amour qu’on a connu


Vous laisse un gout du miel -


L’amour c’est éterne!


Tout ça c’est très joli,


Mais quand tout est fini


Il ne vous reste rien


Qu’un immense chagrin…


Tout ce qui maintenant


Te semble déchirant


Demain, sera pour toi


Un souvenir de joie!


En somme, si j’ai compris,


Sans amour dans la vie,


Sans ses joies, ses chagrins,


On a vécu pour rien ?


Mais oui! Regarde-moi !


A chaque fois j’y crois !


Et j’y croirait toujours…


Ça sert à ça l’amour !


Mais toi, tu es le dernier !


Mais toi’ tu es le premier !


Avant toi y avait rien


Avec toi je suis bien !


C’est toi que je voulais!


C’est toi qu’il me fallait!


Toi que j’aimerais toujours…


Ça sert à ça l’amour !




Tradução


Pra que serve o amor?




Pra que serve o amor?


A gente conta todos os dias


Incessantemente histórias


Sobre a que serve amar?


O amor não se explica


É uma coisa assim


Que vem não se sabe de onde


E te pega de uma vez


Eu, eu escutei dizer


Que o amor faz sofrer


Que o amor faz chorar


Pra que se serve amar?


O amor, serve pra que?


Para nos dar alegria com lágrimas nos olhos


É uma triste maravilha


No entanto, dizem sempre


Que o amor decepciona


Que há um dos dois


Que nunca está contente


Mesmo quando o perdemos


O amor que conhecemos


Nos deixa um gosto de mel


O amor é eterno


Tudo isso é muito lindo


Mas quando acaba


Não lhe resta nada


Além de uma enorme dor


Tudo agora


Que lhe parece "rasgável"


Amanhã, será para você


Uma lembrança de alegria


Em resumo, eu entendi


Que sem amor na vida


Sem essas alegrias, essas dores


Nós vivemos para nada


Mas sim, me escute


Cada vez mais eu acredito


E eu acreditarei pra sempre
Que é pra isso que serve o amor


Mas você, você é o último


Mas você, você é o primeiro


Antes de você não havia nada


Com você eu estou bem


Era você quem eu queria


Era de você que eu precisava


Eu te amarei pra sempre


E a isso que serve o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...