terça-feira, 22 de julho de 2008

O Segredo


Depois de colegas comentarem, ver nas locadoras, inclusive em promoção no hiper decidi também ver...na verdade estou falando do documentário "O Segredo" . Minha resistência em vê-lo dava-se mais a minha dificuldade em dar trela aos best sellers, porque nem sempre "a voz do povo é a voz de Deus"...Mas de fato o documentário é interessante, ele segue a linha de um outro documentário "Quem somos nós?" e tenta mostrar como nós influenciamos nossa perspectiva de vida pela LEI DA ATRAÇÃO. Embora pareça auto-ajuda, o documentário busca argumentar por meio da física quântica como nossa energia mental produz a vida que temos a médio, longo prazo...De como gastamos muito mais energia evitando coisas que não queremos quando comparada as que queremos...Bem, fazendo um paralelo, lembro de Freud e os mecanismos psíquicos de repressão. Ao utilizar o método catártico, Freud demonstra através dos casos que analisou que quando o indivíduo deixa de reprimir o que não consegue entender, os seus desejos, e "coloca para fora" a energia psiquica volta a circular normalmente. É como se você deixasse de sofrer por antecipação. Por meio da física quântica, dos níveis e campos de energia, da atração e repulsão de ondas eltromagnéticas, o documentário expõe a necessidade de sentirmos o que realmente desejamos, seja amor, dinheiro, saúde, como se estivesse acontecendo naquele exato momento...É preciso PEDIR, ACREDITAR E RECEBER. Mas antes de qualquer coisas é preciso agradecer o que temos e que nós amamos. Cultivar sentimentos que nos deixam de bem com a vida, como o carinho de um bicho de estimação, a sensação que sentimos do lado de alguém que amamos...e agradecer por isso. Sentir...Gostei muito da dica de um quadro de visualização: colocar fotos de coisas que você gostaria muito em ter como um carro, uma casa, uma viagem...e daí o universo mostra o caminho para você conseguir o que quer...Materializar o que sentimos se dá aos poucos e pelo o que cultivamos dia-a-dia. E lá vamos nós...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...