domingo, 31 de agosto de 2008

O Silêncio que leva a angústia que leva ao medo de sei lá o que

O papel em branco é maior do que o silêncio ou é o próprio silêncio? Há ou não, algo a se dizer? O silêncio é de angústia? Angústia de que? De ter a incompetência atestada? O silêncio é de medo? Medo de enxegar verdades antes nunca ditas? Ou quem sabe medo de encontrar verdades a serem refletidas, berradas na sua cara, verdades a serem desmascaradas? Máscaras do que são ou do que nunca foram, como ilusionismo que parece mais não é...Medo, angústia pelas respostas ou pela falta delas? Silêncio como fuga do que não quer se ver, do que se tem medo de encontrar. Silêncio como autopreservação pelos possíveis encontros nos quais não há nada a se fazer a não ENFRENTAR COM CORAGEM... Mas quando os silêncios se tornam maiores do que a gente, quando o medo se torna maior do que a gente é hora de ENCARAR! Ás vezes eles são maiores do que realmente são...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...