sábado, 13 de setembro de 2008

Auto-estima.Heim?


Uma colega de trabalho me deu dois textos muito interessantes: uma fábula e um papper de um psicanalista sobre auto-estima. "Aquilo que todos procuram e alguns não acham". Me pareceu interessante porque definir auto-estima é algo complicado de se fazer, mas nas palavras de Mario Quillici, nada mais é do que se sentir capaz de fazer algo quando o inesperado aparece. É ser auto-confiante de que suas habilidades serão capazer de ti fazer feliz e o mundo também. Não tem nada haver com narcisismo, culto ao corpo ou arrogância. É uma atitude mental, interior, na qual é preciso ter paciência, fé (isso nas coisas e em si mesmo) e autoconfiança em suas habilidades. E o que isso tem a ver com fábula da àguia?

Eu nem sei se é verdade ou ficção, portanto, fábula, mas a "história" conta que quando a águia completa 40 anos precisa tomar uma grande decisão: ir ao topo da montanha, passar 150 dias lá e perder tudo o que tinha de ruim (um bico velho, unhas inúteis e penas gastas) para renovar-se. Detalhe primeiro ela bica a rocha até o bico cair, quando o outro nasce, ela arranca as unhas e depois as penas. Tomada essa decisão de renovação na DOR, ela vive mais 30 anos.

Quando li pensei: "Caramba! AI! Mim num que isso não". Mas gostar de si muitas vezes é deixar para trás o que não serve. Uma passagem difícil, dolorosa, mas necessária, para se viver melhor por pelo menos 30 anos, né? Ou é assim ou é viver como uma águia velha arrastando bico, unhas e penas que não servem mais e só fazem sofrer.

E haja autoconfiança, fé e paciência para ter uma atitude mental a princípio masoqusita. Nossa quando falou de dor eu só penso naquele filósofo Schopenhauer. Me lembro que na faculdade só o título do livro me assutava e nem cheguei a ir adiante. Mas num outro filme "A excêntrica família de Antônia" o filosófo é citado e é dito: O tempo não cicatriza as feridas, mas faz com que doa menos.... Ir ou ficar implica em dores e perdas. Qual dói menos? Qual parece mais suportável? O que os instintos dizem? Bate com o que a cabeça diz? Quando um parente querido está prester a morrer é preciso se preparar para sua perda. Ter uma atitude mental. Assim são com algumas coisas, ou quase todas as coisas, da vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...