quinta-feira, 20 de novembro de 2008

O que é preciso para encontrar a alegria de viver?


A gente aprende muito vivendo, pensando, lendo, escutando e assistindo muita coisa também. Sempre há algo de interessante, de diferente, e até de inspirador, para ser extraído das coisas e das pessoas mais estranhas.

Eu pelo menos tenho uma listinha de filmes para lembrar-me sempre do amor, do acaso virtuoso, da coragem e de coisas desse tipo, por isso, meu “filmes de cabeceira” são: De repente é amor, O diário de Brigte Jones, Amelie Poulain, A casa do lago, PS Eu te amo, Velocidade Máxima, Uma linda mulher (Eita! O mofo subiu como diria minha amiga Jad), Perfume de Mulher (aquele tango maravilhoso de Al Pacino, ai, ai...) e por fim, pelo menos , por enquanto, Quando Nietsche chorou (Ok! Gosto muito desse filme, mas esse último foi principalmente para não transformar minha cinemateca pessoal em algo muito meloso tá?). Portanto, nunca perco uma reprise desse filmes.

Ao assistir “Antes de Partir”, um dos pontos que achei interessante e que é explorado pelo filme trata justamente do que é preciso fazer para encontrar a alegria de viver? De forma nenhuma essa questão é posta de modo triste ou melancólica, e sim de maneira redentora que no máximo arranca um engasgo de emoção ao final.

Estrelado por Morgam Freeman e Jack Nicholson, os personagem fazem uma lista do que querem fazer antes de partir:

1. Conhecer um lugar majestoso;

2. Rir até chorar;

3. Beijar a mulher mais linda do mundo (entendam linda não como esteticamente);

4. Pular de pára-quedas;

5. Dirigir um Shelb 350;

6. Rever a filha;

7. Ajudar um desconhecido...

Ao longo da realização da lista dos desejos de suas vidas, à vezes adiados pelas obrigações de rotina ou porque pegamos caminhos que nos distanciam sem que percebamos do que realmente queremos, os personagens sentem que a maior de todas as alegrias que deram início ou a partida de suas vidas, talvez aparentemente desencaminhadas, nada mais foi do que o amor. O amor por sua família e pelas pessoas queridas do seu entorno. Dinheiro ajuda, ow! Mas também não é tudo, o que chamamos de amor, fé, crença, felicidade, esse sim, são sentimentos poderosos. Bem, o filme me inspirou a fazer uma primeira lista, que com certeza será acrescentada ou modificada ao longo da minha vida, mas acho que por enquanto posso resumir minha lista do que quero fazer antes de partir em pelo menos quatro desejos, para aproveitar muito bem essa passagem por aqui:

1. Registrar o maior número possível de vezes, fotografar, para poder sempre ver e relembrar, os momentos que me fazem feliz, rir, com minha família, com meus amigos e quem sabe com um companheiro que me ame e se sinta muito bem e feliz também ao meu lado;

2. Viajar, com os mesmos amigos e com a minha família;

3. Ter sempre uma cumplicidade profunda com meu irmão;

4. Pensar menos para arriscar mais no improvável e no imprevisto que às vezes passam rapidamente em nossas vidas e nem nos damos conta.

Espero que nesse momento cada um esteja pensando e tentando executar sua listinha pessoal para ser feliz antes de partir....E parafraseando um pouco uma das mensagens do filme “você até pode manter os olhos fechados, mas deixe o coração aberto...”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...