sábado, 6 de dezembro de 2008

Experiências bizarras.minha vida.com (parte 2)



Necessariamente não quer dizer que os fatos narrados a seguir seguem um tempo cronológico, nem muito mesmo atual...experiências um tanto bizarras, ou não, passam desapercebidas por um olhar mais desatencioso...

  1. Primeira experiência com jantar paraense: tacacá, mosumbá (eu acho que era assim) e vatapá à paraense. O primeiro é uma iguaria servida em uma cuia com caldo de mandioca brava bem cozida para não matar ningúem envenenado, junto com água da goma de mandioca descansada, mais camarão, erva de nome estranho que não lembro mais e por fim pimenta. Sensação: ardente e gosmenta. Não gostei. O mosumbá parense feijoada com folha de mandioca desfarçada de espinafre. Sensação: gosto peculiar a feijoada, sem tanto peso no estômago. Finalmente vatapá à parense parece o vatapá baiano com camarão sem outros pescados. Bom também. Acompanhamento um monte de gente da área de exatas falando sobre cálculos e questões acadêmicas. Ai! Alguém sabe a cotação do dólar, por favor? (tentar mudar de assunto é bom...);


  2. Catchupa: prato africano que parece um pirão bagunçado com galinha, milho, feijão e linguiça. Também gostoso, porém pesado. Acompanhamento: cabo verdianos que não deixava passar nada, nem ninguém, aff! Eu sou a favor que todos os meninos na mais tenra idade deveria assisitir o filme Don Juan de Marco se tocar às vezes é bom, até mesmo pra os conquistadores baratos ou canalhas eventuais. Afinal, toda mulher gosta de sentir única para um homem e gosta que ligue no dia seguinte, perguntando como ela está mesmo que depois dê uma desculpa esfarrapada para não mais vê-la, delicadmente tá?


  3. Água de coco na sombra tendo como paisagem o marzão azul, um almocinho natureba, um banhozinho de piscina e finalizando a noite com um bainho e um filminho. Isso sim que é vida difícil. Além do recadinho gostoso pela net:

"Não sei...se a vida é curta ou longa demais pra nós,mas sei que nada do que vivemos tem sentido,se não tocamos o coração das pessoas.Muitas vezes basta ser:colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove.E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.É o que faz com que ela nãoseja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura...enquanto durar..." sentido da vida
4. Ah! Alguém discutido relação por celular dentro de transporte público: um horror! Se celular já parece um GPS, um sinto de castidade moderno, as câmeras do programa Big Brother, discutir relação então torna o negócio ainda mais público:

_- Pode ficar com ela. Eu não me importo com você porque senão estaria aí. A gente só dá valor quando perde...

A prontidão com que a passageira atendeu a ligação na primeira chamada indicou somente que a mesma não queria perder tempo em descontar a raiva e queria que o outro ligasse e bajulasse mesmo. "Mentiras sinceras me interessam e te interessam...( já cantava Cazuza);

Ai, ai e bola para frente que atrás vem gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...