quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Idéias bizarras. o mundo. com. br (parte 3)



  1. Incentivo aos estudos é importante, principalmente, quando você acha que esse mundo não pertence a uma determinado segmento de pessoas, mas escutar de uma educadora em reuniões de pais que "você só é alguém se estudar" é tratamento de choque. Então, o que acontece com os analfabetos e semi-analfabetos? Os que não tiveram estudo suficiente e nem fizeram graduação e pós-graduação? Eles são ninguém, nada e sendo assim deixam de ser responsabilidade da coletividade, é isso? E eu que achava engraçado a propaganda da globo: "Eu sou Maria. Eu sou João. E com certidão de nascimento sou cidadão". Sendo assim, não basta ter certidão, tem que ter estudo e depois emprego porque senão você não é ninguém. Chupa essa manga! E eu que achava que para ser alguém bastava, de acordo com o estatuto dos diretos humanos, ser humano, ter vida. Liberté, igualité, fraternité. (alguém lembra dos lemas da revolução francesa propulsores de tantas mudanças no mundo?);


  2. E por falar em emprego, um dia passeando no shopping, minha amiga observou que havia aquelas estátuazinhas de profissões com uma de desempregado:
- O que é isso?" - minha amiga perguntou.

- A institucionalização e a legitimação social do desemprego, da insegurança social. Assim como você escolhe ser médico, fisioterapeuta e lá vai, também escolhe ser desempregado. Pode? Parece que pode. Por mais que digam que nosso país é eclético


3. E por falar em institucionalização, a festa de Iemanjá em João Pessoa deixou a desejar para muitos. Embora nem todos os partipantes da festa sejam devotos do candomblé e vá muitas vezes por folia, para conhecer, paquerar, enfim, por outros motivos, o mais chocante não foram os diversos motivos que levam as pessoas a irem a tal evento - particularmente acho engraçado o contorno de "feira" onde tudo se encontra, vende e troca que as festas e as tragédias assumem- mas, os discursso políticos de confederações estaduais do terreiros. Pois é! É verdade que cada vez mais o sistema precisa organiza e sistematiza os movimentos, entretanto, a festa não pode ser deixada para trás mesmo quando os contornos mudam porque o cenário mundial muda e os movimentos também. Sem tradicionalismos, ao invés da política se imiscuir, pesou e muito na festa.A dança das baianas dos terreiros e os batuques dos cantos foram abafados pelo tempo e o cansaço dos discursos de horas das confederações de candomblé;

4. Sem falar que enquanto a Bíblia, livro sagrado, prega "Amavai-vos uns aos outros", um bando de evangélicos se aglomeraram na festa do candomblé para anunciar que somente Jesus salva. Como se os demais estivessem condenados ao inferno. Fio direto com o senhor, ora! Bem, mas isso não é novidade, afinal já vi algumas vezes nos Encontros da Nova Consciência, um encontro ecumênico, os evangélicos pregarem a mesma coisa.

A baixo aos fundametalismos! Inclusive aos religiosos. Liberdade de expressão e de religião para todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...