quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Natal às avessas



Minha família seja a nuclear ou a mais extensa não é muito chegada em Natal. Eu, particularmente, não tenho nada contra nem a favor. Tendo paz interior o resto acontece. Claro, que as super ceias são muito legais e animadas. Mas esse ano fiquei em casa sozinha descansando das minhas inúmeras confraternizações.

[abrindo parenteses]

Tarde da noite meu irmão siamês veio me trazer uma truffa. SOCORRO! Dessa vez me afogo na endorfina. Só para fechar o parenteses assim que a truffa bombou no mercado minha mãe chamava truffa de "troxa" e não era de sacanagem não. E o inconsciente grita, né mãe?...

[fechando parenteses]

Enfim, o Natal às avessas é muito mais porque escolheu um filme bem diferente das minhas categorias usuais para me fazer companhia. "Almoço Nu", em português "Mistérios e Paixões ". Que tradução nada a ver, heim? Bem, baseado no romance de Burroughs o filme a grosso modo é uma ficção não científica, mas que se passa na cabeça de um cara por se tornar usuario de inseticida de barata, depois de centopéia preta aquática brasileira.

O cara viaja o tempo todo, fazendo com que fantasia e realidade se misturem. O próprio telespectador fica confuso. Me parece que foi baseado em fatos reais, como o envolvimento com as drogas e o fato dele ter matado a mulher num desses baratos. Os monstros dos filmes são surreais, onde litaralmente o ato de escrever devora, o sexo devora e a ambivalência sexual aflora de todas as suas repressões e explodem em alucinações. Quem estiver afim de encarar, vai nessa.

E gingobel para todos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...