sábado, 20 de dezembro de 2008

Se é para rir a gente rir


Plagiando a frase de um forró de plástico - "se é para rir a gente rir, se é para chorar a gente chora" - vou ficar somente com a primeira parte do refrão e a banda, tanto faz porque não há importância em identificá-la, para fazer alguns relatos desse fim de ano. Lá vai:


FATO 1:
-Qual o nome da sua filha? - passageira do ônibus
- Paloma Elóa. - mãe da criança e outra passageira do ônibus.
Eu, também passageira do mesmo ônibus pensando:
"Como é que uma mãe coloca o nome de uma filha de Elóa? Afinal a guria era até seu cativeiro e assassinato pelo ex-namorado uma desconhecida de um conjunto habitacional da grande São Paulo. Deus que me defenda colocar o nome de uma filha minha carregado de tragédia. Já acho estranho o povo colocar o nome dos filhos, homenageando os jogadores de futebol. Pelo menos esses nomes guardam a fé que a futura criança será rica, né? Imagine o povo colocando o nome dos filhos de Isabela Nardone tal...Aff!

FATO 2:
-Thaisa?Por quê que é que você está colocando o capacete na cabeça se a gente está no meio da rua? Quer ser presa é bichota- meu amigo enquanto andávamos no ruge do centro da cidade.
- Eita! Nem reparei nesse vuco-vuco. Acho que eu queria colocar os óculos escuros. Tô louca-louca - eu

FATO 3:
Chamada para uma confraternização de última hora e pega no susto de que o amigo secreto tinha um tento mínimo de R$ 50,00, comprei no vuco-vuco um perfume do boticário feminino e de fragrância suave. O sorteio do amigo secreto era na hora e tinha pelo menos três homens na festa. Azar ou sorte sorteei um homem que gostou do perfume. Ufa! Ainda bem, mas foi por pouco. Detalhe eu tinha perdido a hora e a roupa que escolhera para ir ao evento. Acabei saindo como que vai ali só dá uma volta. Quando chego no local o povo tudo no salto, brilhando...Ai meu Deus a pessoa errada na hora fazendo a coisa errada. Ainda bem, que meu irmão siamês foi para o mesmo evento quase que coagido pela realizadora do evento e me fez companhia. Servindo as bebidas disse a ele:
- Amigo odeio sidra cereser e em taça de plástico é fatal. Mas com você agora até sidra cereser é melhor. - eu
- Ow amiga meu primeiro porre foi com sidra cereser - ele
- E o meu foi com uísque Teacher's - eu.

FATO 4:
No outro lado do mundo, outro amigo secreto no mesmo dia do amigo do furto de R$ 50,00, saí voada e quando cheguei na pizzaria quase não tinha mais ninguém, mas fiz a troca simbólica e conversei um pouco e fiquei sabendo das peripécias que um homem faz para se "montar"( vestir-se de mulher para cair na night):
  • vale esmalte na sombracelha para apagar a original e fazer uma outra à lápis bem mais marcante e feminina;
  • vale colocar as bolas para cima e puxar o bilau para trás, colocando umas três calcinhas bem apertadas para não aparecer os possuídos. Inclusive confessaram-me que o desconforto é grande e que independente do tamanho do digníssimo é possível sim amarrar o bichinho;
  • vale fazer uma rodilha na cabeça com fita crepe para a peruca ficar bem presa. Vale também colar com cola mesmo ou furar o couro cabeludo com uns grampos enormes e perfuradores. Isso garante que a peruca não cairá na festa e que quando você chegar em casa vai ficar sem uns tufos de cabelo por causa da fita. A DICA: arranque a fita de uma vez, não aos poucos. Ui!;
  • Para fazer o colo de seios femininos enche-se uma camisinha com um pouco de água envolve-a em mais três para não estourar, colocando-a em baixo da cava do peito masculino. Para tudo ficar arrumadinha colocasse uns panos para acomodar a camisinha com água num sutiã e arroxa-se o toráx com fita crepe. Nossa! Colos de seios feitos com a garantia de que o silicone/água não irá estourar.
Ui! E eu que achava que sofria quando passava o dia no salão ouvindo abobrinha, depilando, escovando a juba e pintando as unhas.

FATO 5:
Em outra confraternização...

- Mainha parece peru. Só sabe comer molhando...- eu disse a meu irmão enquanto ela bebia "milhões" de copos de refrigerante.
- Eu ouvi viu! - mainha rindo.

Isso me fez lembrar o que um ex-namorado disse-me sobre mainha e os refrigerantes:
- Teve gás, fez espuminha, tua mãe bebe qualquer tubaína (refrigerante). Tenho medo de que um dia sua mãe abra o gás de cozinha e tome pensando que é refrigerante.

Ow! Só porque ela na época, assim como eu, gostou da edição limitada de Fanta maçã.

FATO 6:
Em mais uma confraternização...
- Ou zói lindo! - amiga de estudos
- Ainda bem que pelo menos nisso a natureza foi generosa comigo. Meus olhos são a janela da minha alma.
- A você viu esse filme? - e o rapaz começo a comentá-lo e eu assentindo com a cabeça, morta de vergonha em dizer que não sabia qual era o filme e que na verdade me inspirava num quadro de um pintor que se entitulava olhar: janela da alma ou algo assim. Mas cometei sobre o quadro.

FATO 7:
Em outra confraternização...
  1. Fui repreendida por uma de minhas colegas porque estava distante demais do grande grupo. Era porque estava fazendo fotos. Ow! Detesto repressão. Acho que ano novo com essa galera não dá não viu!;
  2. Fiquei com medo da mulher de uma outra colega minha achar que eu estaria "dando em cima" dela. Por isso quase não cheguei perto e nem olhava na direção dela. Respondia o básico de lado, de costas, sem olhar nos olhos. Reminiscências da boataria da graduação. Ow como sofre quem faz Psicologia;
  3. Ligamos para amigos na madrugada, perguntando se estavam dormindo com fundo musical da música da dança do siri em homenagem a pessoa mais a minha pessoa imitando a personagem da tiazinha no filme O Cheiro do Ralo, fazendo: Aê, aê, aê!
  4. Meu arque inimigo foi de surpresa para festa e no sorteio me tirou. RA! Ele não sabia descrever minhas características contrárias e disse apenas que era uma pessoa baixa. Logo supus que pela falta de dados era eu. Ele me entregou um CD de Ana Carolina que joguei no colo da minha irmã gêmea. De volta para casa no carro, troquei o CD pela caneca da minha irmã e tudo certo. Nada de energias ruins junto a mim. Nosso diálogo:
- Me senti no filme do homem de vidro, o arque inimigo de Bruce Willes, o homem de vidro feito por Samuel Jackson. Como era mesmo o nome do filme? - eu
- Corpo fechado. - namô da irmã;
- Pronto esse mesmo. Socorro! Ele quis me destruir. Aaaaaaaaaa. - eu
- Também dá um CD de Ana Carolina é não gostar mesmo da pessoa e querer fazê-la curtir a dor de cotovelo do mundo todinho ...- meu irmão de sangue.

Rimos. E, por favor, nada contra Aninha. Eu curto umas musicas dela mais é indiscutível que ela puxa uma dor do cotovelo, da alma e em qualquer outro lugar que ela estiver alojada.

FATO 8:
Em outra confraternização..
Sugestão de oração. Nesses círculos sempre há uma evangélica no meio chamado o espírito santo. Tudo bem. Nada contra, mas é muito engraçado a cara franzida de esforço ou para mostrar profundidade da oração ao proferir as palavras de fé (parece que a pessoa está no banheiro fazendo o número 2). Me segurei para não rir da senhora. Perdoem mais foi muito engraçado.

FATO 9:
- Você sabia que você mexe com as pessoas quando passa?- um desconhecido enquanto eu andava e fingia que não o ouvia. Meus trajes: óculos escuros estilo Marisa Monte, vestidinho preto com gola V e de sainha esvoaçante.

Ele insistiu:
- Você sabia que mexe com as pessoas quando passa?
Apenas assenti novamente com a cabeça sem falar uma palavra, completamente afônica, louca para encontrar o lugar mais próximo para proteger-me. Pelo menos foi uma cantada baixaria de nível criativo.

FATO 10:
Mami Amy foi para " O Grande Encontro : Zezo e Tayrone Cigano" e relatou-me que foi só a baixaria de Campina. Tipo no meio do salão tinha lama, garrafa, lata, balde de gelo, gelo, briga entre mulheres com direito a sessão salto na cara (eu acho que inspirada no episódio Bush ) e mulheres fazendo xixi nos cantos da parede do Spazzio ( será que elas imaginavam que estavam em praça peruana? No Peru é um hábito cultural as melhores fazerem xixi na praça, basta se agachar e tomar cuidado com o saião para não molhar, legal né? E prático). E para encerrar mami magrinha ao final da festa foi abalroada por um homem jamanta que saiu "catando cavaco "para não cair de cara no chão. Perdeu até os "sapatinhos de cristal", mas ela não contou conversa e disse poucas e boas ao homem, para variar.

FATO 11:
Nos discursos de confraternização escutar pobrema ao invés de problema de quem tem nível superior é uma facada, mas tudo bem. Junto aí as palavras do programa casos de família com o povo falando crima (clima) e muié. Jesus que ninguém me diga crima na a hora H porque senão eu digo que realmente acabou o clima.

FATO 12:
Eu ainda não sei como é que a ciência não descobriu o mistério porque o pessoal da terceira idade adora guarda "cacarecos". Minha avó Hitler começou a brigar comigo e com mainha porque não guardamos as caixas de margarina como recipiente. Ela ficou indignada porque as mandamos para reciclagem e mais ainda com o meu discurso contra as sacolas plásticas. Ela disse que era conversa minha e que sacola plástica não demora 100 anos para desmanchar-se na natureza. Fora que ela ficou mais irritada ainda quando acrescentei que comida feita armazenada por muito tempo em geladeira vai perdendo seus nutriente.

- A senhora não assisti jornal não é?

Se é para rir a gente rir...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...