quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Causos Nordestinos e um desafio


PARTE I


Assitindo ao Jornal Hoje no descansinho do almoço, passou mais uma reportagem sobre a guerra do tráfico nos morros cariocas...Então, um senhorzinho que era tio da senhora de onde eu fico para almoçar no dias que trabalho fora da cidade, afirmou:


- É porque não existe mais "Mão Branca".

- Minha mãe já falou a mesma coisa. - eu.


Mão Branca há uns 30 anos atrás mais ou menos, era conhecido por ser o justiceiro, matando os fora da lei. Acho que pelo interior do Nordeste ou de Campina Grande. Ao final ele deixava a mão dele tatuada de cal nas costas do cadáver ou no caixão do defunto quando ia para o velório dos referidos. Por isso, mão branca. Todo mundo tinha medo dele.


Não sei se estou confundindo os causos, mas acho que Mão Branca era o tal de Ataliba Arruda, que cumpriu pena no presídio do Serrotão em Campina Grande. E aí, lembrei quando minha mãe disse que foi convidada para um forró na casa de uns cumpradres e o tal do Ataliba apareceu montado num cavalo, mocinho...No forró, feito na sala da casa do anfitriões mesmo, quem ficava no dancing tinha que dançar com quem chamasse. Não podia recusar de jeito nenhum.


Minha mãe disse que por precaução ficou fora. Vendo tudo da janela com um lacinho de fita na cabeça (Que meigo!), quando o tal do Ataliba a chamou para dançar e ela : "Eu não! Não estou no dancing. Estou fora, está vendo?". Sem saber de quem se tratava, até que uma amiga a "catucou" e disse: "Tu é doida menina esse é Ataliba Arruda, matador...". Ele:


-Como é?


Na mesma hora minha mãe mudou de ideia e disse, "Sim, senhor".


E ela dançou com ele até o dito não querer mais, rezando 500 Pais Nossos e 500 Ave Marias, morrendo de medo dele querer agarrá-la ou algo mais. E quando a festa acabou, ele cumprimentou a moça, "apiou" no cavalo e foi embora. Mãe disse que "tremia que nem vara verde"..A "pobe!". Hoje checo se as identidades conferem...Mais tarde conhecia a filha de Ataliba Arruda na Faculdade: um amor de pessoa que dizia que os namorados quando ficavam sabendo de quem era filha, já saiam correndo com medo porque os pais diziam: "Meu filho saia dessa que é roubada. O homem é doido e perigoso". Tadinha...


Ah! Mas sem esquecer de comentar: Em terra onde não há lei, ou onde a justiça não se faz pelos legítimos órgãos de defesa, temos um retrocesso no tempo, no qual as pessoas dizem que é mais seguro ter um justiceiro por perto do que os braços da polícia amparando. Voltamos a lei de Talião? Olho por olho, dente por dente?


PARTE II

Agarrei o desafio do Between us,


1. Agarrar o livro mais próximo - "Amor é Prosa Sexo é Poesia: crônicas afetivas" - Arnaldo jabor - Editora Objetivo

2. Abrir na página 161


3. Procurar a quinta frase completa


4. Colocar a frase no blog - "Esses intelectuais de quinta querem que eu deixe as maiores reservas do mundo com Saddam?".



Saddam, a coitchado!?

5. Repassar para cinco pessoas.Como Jad, deixei livre. Copia a idéia quem quiser.


16 comentários:

  1. Pera!
    Até o caso do Ataliba... (sei lá o que) eu acho que conhecia, mainha deve ter me contando alguma vez sobre esse cabinha!kkkk...
    Só não me lembrava mais!
    Será que daria mesmo certo se tivessimos ainda um "Mão Branca"?
    Vamo ver...rs
    Simmmmmmm....
    Sobre esse negoço de Jady, num consegui entender isso não!
    É para copiar e jogar onde?
    Acho que num tenho cinco pessoas não!
    pode ser pelo orkut?
    kkk
    Beijos e Abraços fortes

    ResponderExcluir
  2. Parabens pelo blog.
    Adorei o texto e obrigada pelo "tadinha". Rsos..
    Por onde andas?
    agora falando sério: o velho Arruda pode ter tido lá suas loucuras, mas, nunca admitiu violência contra a mulher.Esse cabra faz falta!!!!Diga-se de passagem, nunca forçou as mocinhas da cidade a fazerem o que não queriam.Isso me orgulha por ter correndo nas veias o sangue desse menino!!!!!
    Abraços e por onde andares paz e luz em teu caminhar.

    ResponderExcluir
  3. "Mão Branca" foi um grupo de extermínio formado por policiais civis e militares que atuou em CG no início da década de 80. De todos que foram presos, somente um foi condenado: Zezé Basílio, que pegou 76 anos de prisão e morreu no presidio do serrotão na década de 90.
    Um abração...

    ResponderExcluir
  4. esse é o grande problema da nossa sociedade!achar que oerrado ta certo e certo ta errado.enquanto pensarmos assim a vaca vai continuar indo pro brejo.preguiça de fazer, buscar e raciocinar.os aproveitadores de plantao vao continuar se dando bem.

    ResponderExcluir
  5. Corrigindo: Ataliba Arruda estava na lista do grupo de exterminio Mão Branca, por ter matado varias pessoas sem motivo especifico....só não foi morto por ser familia de politicos de Campina Grande.

    ResponderExcluir
  6. Sou filha de ATALIBA ARRUDA e esas historias nao tem nda haver...rsrs, e outra essa historia que meu pai nao foi morto por ser familia de politicos,isso é apenas conversa de quem nao sabe os fatos reais da historia...ok?
    By...
    LILYANNE ARRUDA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lilyanne, sou a autora do Xodó, acho ótimo que você se posicione em relação aos fatos e venha participar do meu ciberespaço, mas eu não lembro de ter mencionado nada sobre supostas ligações políticas dele? Quanto a fatos reais, como coloquei no título da postagem, são causos, portanto, uma mistura de verdade e mentira, mas afinal onde moram os fatos reais? O que seria a história senão perspectivas diferentes contada por atores diferentes? Compartilho bastante da perspectiva da historiografia, portanto não acredito NA VERDADE, MAS EM VERDADES. Valeu flor!;)

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Thaisa, gostei demais da maneira como você escreve, acrescentando aos fatos um olhar humano e uma substância poética aos textos. Delicioso o texto sobre o mito "Ataliba Arruda".
    Tenho um blog também onde posto minhas observâncias cotidianas e campinenses e de vez em quando alguns poemas que cometi. Eis: www.substancialiteraria.blogspot.com

    Espero seu contato por lá.

    Rafael Rubens

    ResponderExcluir
  9. Eu o conhecí pessoalmente ainda adolescente. Passava todo dia à pé em frente de casa na rua santo antonio, a caminho da escola. Serví o Exército e algumas vezes ele parava no bar do Zezo, próximo de casa. Várias vezes conversamos dentro do bar, apenas eu, ele e o Zezo, pois todos corriam com medo dele. Sempre montado numa égua preta e todo de preto. Estive na casa dele, conhecí a mâe dele (lá no Marinho). Comigo ele sempre foi gentil e educado. Às vezes de madrugada dava uns tiros na rua, Muita coisa que falavam dele não passava de boatos.

    ResponderExcluir
  10. Preciso saber se Ataliba está vivo...

    ResponderExcluir
  11. Eu gostaria muito saber se Ataliba Arruda está vivo e se possivel ver alguma foto dele... parece que ele é meu pai biológico e gostaria de saber.

    ResponderExcluir
  12. Olha só, infelizmente eu não sei...tive contato com uma das filhas dele faz uns 10 anos, por isso, perdi o contato e só sei o primeiro nome dela nem o sobrenome... Então deixe um email de contato que posso procurar saber se alguém sabe o os sobrenome...e não se preocupe que aqui antes de publicar os comentários vai pró email então não postarei na rede ;)

    ResponderExcluir
  13. Olha só, infelizmente eu não sei...tive contato com uma das filhas dele faz uns 10 anos, por isso, perdi o contato e só sei o primeiro nome dela nem o sobrenome... Então deixe um email de contato que posso procurar saber se alguém sabe o os sobrenome...e não se preocupe que aqui antes de publicar os comentários vai pró email então não postarei na rede ;)

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...