quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Heresias


Primeira heresia:

Escrevi em algumas postagens anteriores que não era muito fã de tecnologia...

Segunda heresia:

Hoje, no entanto, tenho que admitir que não consigo passar um dia sem postar no meu Blog. Mesmo que não tenha tempo de ler o que outros escrevem.

Terceira heresia:

Meu blog se tornou meu diário pessoal/público e virtual. Claro que para manter um mínimo de privacidade, às vezes uso de poesia, metáforas, causos, enfim, há muitas pessoas envolvidas nessa minha vida....Talvez seja uma atividade que me remeta ao meu primeiro diário que rasguei porque tinha medo de que lessem. Ou quem sabe , as agendas enormes da adolescência, que como minha mãe mesmo dizia, guardava até piola de cigarro. Um modo que encontrei de me mostrar sem me expor completamente. Ou quem sabe, ansiar que me decifrem...

Quarta heresia sistematizada em sub-heresias:

O processo e os sintomas do meu vício de bloguera:

1) Adorar escrever. Inclusive sou chamada de prolixa..."Essa menina não pode ver um lápis e um papel - minha mãe";

2) Adorar a liberdade de escrever sem me importar com normas, regras e sanções. Me sinto verdadeiramente livre;

3) Necessitar desabafar. No blog converso com eu mesma. Reflito, ensaio, fantasio...;

4) A motivação de iniciar o blog: desemperrar a escrita em 2007. Deixei que me fizessem acreditar que não sabia escrever, nem pensar...O que foi uma facada na minha auto-estima intelectual, quase irrecuperável para minha saúde mental;

5) A intensidade e a quantidade de postagens: aumentam na medida em que cresce meu desejo de, quem sabe, escrever um livro, mas ainda não plantei uma árvore e não pretendo ter um filho;

6) Por que Xodó na Cidade? Porque era fã da série da HBO Sex in the City (deixo claro que não sou mais). Condensei uma gíria nordestina, "xodó"(carinho, um bem) junto com a tradução da série da HBO mais os conflitos reais e imaginários que vi, li, me contaram e dos quais participei, seja como observadora ou participante. E plagiando uma das personagens de Simone de Beauvior converso com objetos inanimados porque nada me exigem, nem resultados;


7) Aonde discutiria a minha manía de escrever e sublinhar os livros? Para mim, é o máximo da interação total e completa com o que entendi, senti, apreendi, mesmo que alguns anos retorne a lê-los e tenha uma opinião mais madura, de repente. Ou então, aonde discutiria minhas mega malas. Minha bolsa diária é uma pequena bolsa/mala com nécessaire contendo sabonete, hidratante e afins, estojo de lápis, livro, pen-drive, MP3 e agora até lanchinhos naturebas. (merendeira, lembram?). Ou ainda, aonde discutiria as minhas curiosidades sobre camisinha, por exemplo? Vocês já perceberam a quantidade no mercado de: ultraresistentes, anatômicas, massageadoras, retardantes, extra-lubrificadas, fora, as de cheiro e até de música? Será que elas fazem isso tudo que prometem mesmo? Ou tem efeito placebo (enganar a cabeça)? Pelo menos certifiquem-se se tem o selo do INMETRO porque eu acho que não tem muita diferença entre uma e outra. Mas que pelo menos garantam sexo seguro e tranquilo. Ai que alívio! Sem risco de gravidez, nem de DST. Enfim, aonde desabafaria que odeio ficar sem conexão da net quando preciso? Quase surto e mando o computador para o espaço...O bolso dói e ainda não me eixa fazer isso. Ah! Sem contar que às vezes as minhas postagens são previamente elaboradas. Ou seja, se deixar teria dias que sairia mais de uma aberração.


E aí o que vocês acham? Não só sobre a camisinha, mas sobre as minhas muitas heresias? kkk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...