domingo, 11 de janeiro de 2009

Para cada mágoa, um coquetel Molotov


De modo mais poético, em postagem anterior escrevi uma música que demonstrava que para cada necessidade há uma vontade, há um desejo de satisfação. Pensando nisso então, depois dos rounds de ontem:

Se para prisão de ventre, há laxante;
Para diarréia, há purgante;
Para dor, analgésico;
Para coceira, pomada;
Para febre, antitérmico;
Para ressaca, hepatoprotetor;

Então para cada mágoa, há um coquetel Molotov de:
Risos

Boa companhia
Um lugar de alta astral,
Um amigo de bem com a vida,
Histórias de cansar de rir,
Boa comida
E para finalizar um bom filme.
No meu caso foi uma comédia romântica antiga: "Porção de amor número 9" - seu amor pode estar diante do seu coração, mas não dos seus olhos. E quem sabe uma poção faça vibrar suas cordas vocais, excite os pêlos do seu ouvido, envie uma mensagem química ao seu cérebro que o somente o seu coração poderá decodificá-la corretamente?

Um comentário:

  1. TSSS.. Ha!
    sua postagens sobre o filme ficou bom, mas interessante com o poema que entrou bem na sintonia do filme...
    Eu prefiro como você disse:"vc quer a número 8 para conquistar todos os seus desejos não é safadinho...kkkk." kkkkk...
    O bom no começo da vida é ter a de número 8 mas, quando a pessoa chega na 4 idade (kkkk) o bom seria a 9...
    E, a minha postagem num foi criada por mim não, eu que procurei a sinopse do filme e colei lo blog rsrsrs...
    :(
    BeIjOsSsSsS..

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...