quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Na agulha

O suicídio, Édouard Manet, 1877.

Lá fora o dia estava cinza, nublado. Lá dentro, o cheiro de cigarro e mofo pairavam pelo quarto de euma rua qualquer. Indo mais dentro ainda, ela pensava no quanto tinha mudado. O quanto tinha perdido da esperança, de fé na vida e nas pessoas...Tudo perdera sentido. O mundo provará a ela que era amargo.

Decidida a acabar com esse tormento que nem os seus remédios tarjas pretas resolviam - tristeza, angústia, falta de vontade e insônia - nesse quarto ela resolvera afogar suas dores.


Lembrará da arma na gaveta. Brincou apontando para si, mas até nessas horas teria que pensar, o que não mais queria. Afinal não seria somente as digitais dela que constaria no gatilho, mas as do dono. Ela não poderia implicar mais ninguém na sua escolha. Fazer com que alguém fosse suspeito de homicídio e não de suicídio? Isso não.


-A bala já estava na agulha - o dono da arma ao adentrar no quarto

-E?- ela

- Não faça isso. Não se brinca com arma. - o dono


- E quem disse que estou brincando.- ela

-Por favor, pare! - o dono


- Seria na minha casa, com minha arma...- o dono


- Ok! -ela


Ele abriu o tambor, tirou a bala da agulha e arremessou longe, com toda a sua raiva. Ela percebera que também havia por trás daquele discurso e gesto o motivo egoísta de não perdê-la para morte, de não conseguir salvá-la para ele.


Uma garrafa de conhaque e cigarros poderim resolver o problema. Era também mais barato. E enfim a dama de branco adormecia suas narinas. Se não foi a bala da agulha, foi das narinas para véia que veio o entorpecente da sua vida. Reação: quase nenhuma, apenas levemente adormecida. Os problemas não desapareceram, a cama não a engolira...


- Agora já chega! Preciso ir para casa. Amanhã é dia de trabalho. É preciso colocar a máscara de palhaço para depois, ao sair do picadeiro, retirá-la e dar vazão ao que realmente sou: um palhaço triste com vontade de apenas dormir e não mais acordar.

2 comentários:

  1. Minina como você esta se evoluindonas suas postagens. Trè bien!
    Suas postagens esta ficando igual a vida sem manual.Leve que faz o leitor ser o próprio personagem do post.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Ithalo, também acho que seus posts estão se aprimorando a cada dia, mas esse é o grande segredo da escrita, quanto mais a gente escreve e lê, mas se aprimora.

    Beijos

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...