sábado, 21 de março de 2009

Vítima de assédio moral em casa



Diferente de outras postagens, nas quais sempre transformo minha vida num desenho dos Simpson's, ou seja, diante da desgraça sempre há porque para rir, esta tem raiva, tristeza e inidguinação misturadas.


Tinha acabado de acordar do cochilinho da tarde quando meu celular toca com um número desconhecido e ao atender:

- Oi, tudo bem - o cara.

- Aqui é o Fulano- ele dizia enquanto o silêncio perdurava durante a ligação enquanto eu puxava na memória de quem se tratava, afinal conheço pelo menos uns três.

- Então, estava pensando Thaís [errou meu nome]...Você quer me conhecer?

-Am? Senhor no que posso ajudá-lo?- Eu.

-Você mandou uma carta... -ele

- Eu?Senhor acho que é um engano.

- Seu número é tal?

- Sim.

- Seu nome não é Thaís?- ele [enquanto eu já pensava que se tratava de um engano ou uma brincadeira, um trote, sei lá]

- Espera para onde eu mandei essa tal carta? - eu

- Para o rádioclub, com o nome tal e telefone tal. - ele

-Não senhor não fui eu.

- Desculpa então, alguém deve ter mandado por você

- Certo.

Assim que minha mãe acordou contei e pimba: Tinha sido ela e minha avó que tinham mandado uma carta par aum homem que tinha tinha posto um anúncio no rádio que queria algo sério, era professor, enfim...as duas acharam um ótimo partido.


Antes da ficha cair, minha mãe ligou para minha avó e eu sem entender e pedindo para que me explicassem, então, quando ela disse que tinha usado meu nome, meu número e minha foto [pois é, roubaram uma foto do meu mural para mandar para o bendito cara...Como assim? Ele gostou de uma carta ou dos meus olhos verdes na praia?Tenha dó!]. Só falei que não acreditava. fechei a porta do quarto e comecei a chorar.


Foi uma das maiores humilhações que já passei na minha vida. A questão não é: Ei! Qualquer um me queira porque estou chegando aos trinta. Mas: Ei! Me ame porque sou única e especial para algum você...


Fora da realidade? Talvez. Mas me tratar como uma Balzaquiana que não consegue "arranjar" ninguém é humilhante demais. Omitir a atitude delas então...Foi demais. Tá! Se tivesse me dito e me sugerido mandar uma carta era bem capaz de topar, mesmo por curtição. Mas fazer as coisas nas minhas costas foi muito humilhante...Onde que está os limites desse povo.


Depois de me trancar no quarto e me recusar a falar com minha mãe e minha avó, fui para net tentar falar com alguém pela net, mas ninguém que pudesse conversar á respeito estava on line...Então conversei com um colega e não contei nada do que aconteceu. Ele foi super-gentil e ainda me mandou um vídeo "como símbolo de nossa amizade e de quanto sou especial, uma pessoa rara...Ainda bem que alguém enxerga que sou alguém...Além de não querer falar com ninguém de portas fechadas, meu objetivo tornou-se em transceder o dia e não sair do quarto para fazer xixi porque nã quero ver ninguém. Principalmente pessoas que dizem que me amam e me tratam como incapaz na esfera afetiva.


Por que o problema é somente meu? Não será que os homens não sabem amar realmente uma mulher?Nada contra os "cúpidos", acho até legal, mas elas estrapolaram. Isso não é humilhação não?Assédio moral...


2 comentários:

  1. PQP... Sinceramente não sei como agiria se fizessem isso comigo, mas uma coisa era certa: eu ficaria muito PUTA da vida... Que sacanagem da peste!!!

    ResponderExcluir
  2. Não acredito Thaisa... caramba, que povo sem noção! Mais desesperadas e preocupadas que vc, a senhorita em questão!

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...