quinta-feira, 30 de abril de 2009

Identificações paradoxais


Folheando uma revista hoje olha o que encontrei e deteve o meu pensar:

“As estradas não param. Para longe, que vão.
Vão, sem se mover/cansar. Permanentemente vão;
Quem quiser vai com elas, usa tudo o que é delas
Porque são boas, tão boas, tão amigas
Que ajudam a quem quiser correr,
A quem quiser simplesmente andar,
Ou, tropegamente, caminha apenas...”
..................................(.Joaquim Cardoso (As Estradas e as Pontes. In: Poesias Completas - Civilizção Brasileira: 1897-1978)

O que logo me levou a pensar:
"É caminhando que se faz o caminho"
(Enquanto houver sol - Titãs)


E mais a frente:
"O autoconhecimento é o único antídoto capaz de proteger os envolvidos numa história [de traição] (...). Permitirá aquele que assuma seus atos e tenha a coragem de encarar - e propor - o fim do relacionamento, e à vítima da traição que não se sinta culpado pelo próprio conhecimento e que preserve a confiança em si mesma. O conhecimento do outro, principalmente em seus aspectos ocultos e combrios, também é imoportante. Ainda que doa, a decepção traz como benefício o descortinar dessas facetas" (Alberto Lima, psicoterapeuta de orientaçõ junguiana, prof. Dr. em Psicolgia Clínica )

Mais a frente:
"Operação Valquíria", um filme que mostra que as coisas não saem como planejamos.

Hum! E logo eu que adoro planejar.

E paradoxalmente me identifiquei com todas essas as passagens. O paradoxo leva a ideia de contradição. Contradição a conflito. Conflito a desequilíbrio, Desequilíbrio a desordem. Desordem a mudança. Mudança a gasto de energia, excitação. Excitação a necessidade de repouso, equilíbrio. Mas quando é que repousamos se nos colocamos em eterno conflito no paradoxo?

Me questiono agora sobre os meus paradoxos. Adoro:
  1. molho agridoce;
  2. abacaxi com feijão;
  3. roupa estilo esporte e a de estilo hippe;
  4. roupa de preferência preta, ou branca, ou colorida;
  5. adoro urbes, mas trabalho com o rural e me encanto com ele (para trabalhar só!);
  6. cerveja amarga com licor de menta;
  7. detesto modelo, mas só fã da Ana Hickman. Ela quebra os padrões e consegue ser linda, simples e articular boas idéias. Não a toa que meu óculos é da griff dela. Me sentindo um pouco ela me identifico comigo: quem não quer ser linda e bem articulada com as ideias?;
  8. Tenho medo da velhice, mas não me cuido muito;
  9. Sou um tanto sedentaria, mas babo pelos esportes radiciais e quando posso me estabaco numa trilha;
  10. Detesto dor, mas me arrisco na bike e tenho algumas perebas;
  11. Falo de coisas sérias como política, mas pareço uma criança quando me solto;
  12. Adoro filmes de conteúdo produndo, tipo os de arte, documentários, mas adoro uma comédia americana da categorial besterol;
  13. Não gosto dos pintores surrealistas, mas o René Magritte é um dos que me encanta com sua técnica do ilusionismo;
  14. Sou muito pé no chão, mas adoro fantasiar situações, pessoas. As minhas histórias tem até trilha sonora...;
  15. Gosto de coisas simples, de rir, mas sempre me aproximo de pessoas complexas demais, "pesadas" demais;
  16. Não gosto de ser colocada na posição de objeto, mas permito que ainda sim me coloquem nela...;
  17. Sou contra o sadomasoquismo, mas sem me dar conta tenho práticas desse tipo.
Enfim, são tantos paradoxos, que até me perco neles. Parte da nossa identidade, muitos são sem explicação, como ouvir a batida de uma música sem ao menos saber o que a letra quer dizer, e dela gostar, se identificar. Sentir um determinado tipo de cheiro e amar...E como na música de Lulu Santos:

Não existiria som se não houvesse o silêncio
Não haveria luz se não fosse a escuridão
A vida é mesmo assim
Dia e noite, não e sim

(...)
De silêncio e de luz
Nós somos medo e desejo
Somos feitos de silêncio e som
Tem certas coisas que eu não sei dizer

A vida é mesmo assim
Dia e noite, não e sim

(...)
(Eu Te Amo Calado)

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Que livro é você?Eu? Lispector com ascendente em Drummond

Clarice Lispector

Jad deu a dica e eu fui na página ver qual livro me descrevia. E não é que descreveu sem tirar nem por...Sem comentários. Além de orgulhosíssima de ser um livro da minha amada Clarice Lispector, para mim foi um puta elogio...Além de ler sua crônicas e poesias a algum tempo, estou me sentiundo na obrigação de ler esse romance. Agora, temo até em refazer o teste porque fiquei dividida quanto a algumas respostas...Mas vamos pela mesma teória do signo: há um signo e um ascendente. Preparando meu psicológico para a segunda opção pô!

"A paixão segundo GH", de Clarice Lispector

Você é daqueles sujeitos profundos. Não que se acham profundos – profundos mesmo. Devido às maquinações constantes da sua cabecinha, ao longo do tempo você acumulou milhões de questionamentos. Hoje, em segundos, você é capaz de reconsiderar toda a sua existência. A visão de um objeto ou uma fala inocente de alguém às vezes desencadeiam viagens dilacerantes aos cantos mais obscuros de sua alma. Em geral, essa tendência introspectiva não faz de você uma pessoa fácil de se conviver. Aliás, você desperta até medo em algumas pessoas. Outras simplesmente não o conseguem entender.
Assim é também "A paixão segundo GH", obra-prima de Clarice Lispector amada-idolatrada por leitores intelectuais e existencialistas, mas, sejamos sinceros, que assusta a maioria. Essa possível repulsa, porém, nunca anulará um milésimo de sua força literária. O mesmo vale para você: agrada a poucos, mas tem uma força única.


Carlos Drummond de Andrade

"Antologia poética", de Carlos Drummond de Andrade

"O primeiro amor passou / O segundo amor passou / O terceiro amor passou / Mas o coração continua". Estes versos tocam você, pois você também observa a vida poeticamente. E não são só os sentimentos que te inspiram. Pequenas experiências do cotidiano – aquela moça que passa correndo com o buquê de flores, o vizinho que cantarola ao buscar o jornal na porta – emocionam você. Seu olhar é doce, mas também perspicaz.
"Antologia poética" (1962), de Drummond, um dos nossos grandes poetas, também reúne essas qualidades. Seus poemas são singelos e sagazes ao mesmo tempo, provando que não é preciso ser duro para entender as sutilezas do cotidiano.

Eu tenho esse livro na minha cabeceira...Ai ai...Meu ego está inflado. E você? Que livro é você? Valeu a dica Jad. E logo eu, que sou amante dos livros.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Elogio



Para mim, a mensagem abaixo, foi um elogio que merece destaque, já que muitas coisas mudam, a gente muda, mas caratér e honra são questões de convicção.


"-VC É DAS FIGURAS MAIS HONESTAS QUE EU CONHEÇO. Não mudou mesmo... Eu ja não sou mais adpto daquelas ideias amargosas das esquerdas radicais" - o monge .

- Eu também não sou mais da esquerda tão radical porque até a esquerda anda apodrecendo...ando engolindo mais sapos do que antes, ás vezes vomitos-os, mas tenho tentado manter uma regra fundamental na minha vida: Me mater longe de cobras. Essas só no Instituto Butantan, afinal quem tem a capacidade de fingir, trapacear e coisas do gêneros com qualquer um, ou então, "vende a mãe mas não entrega", também pode ser capaz de fazer o mesmo comigo, portanto, mantenho distância...Ai ai...Pelo menos eu posso bater no peito e dizer: "É a vida, e é bonita e é bonita..." Tudo fruto do meu trabalho suado, sem intermediários, nem apadrinhamentos."

E por falar em cobras, Campina Grande sofre com peste de cobras. Inclusive o Instituto Butantan pensa em colocar uma unidade intinerante em nosso município para recolher o veneno solto pela cidade. Eu já tomei meu soro antiofídico. Lembrete para mim: reforçar com certa frequência a vacina polivalente: anti-Crotálica/Botrópica/ Laquésica/ Elapídido, contra jararaca, cascável surucucu e coral. É mole ou quer mais?

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Para que chegue logo a sexta, uma lenda japonesa


Era uma vez um grande samurai que vivia perto de Tóquio.
Mesmo idoso, se dedicava a ensinar a arte zen aos jovens.
Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.
Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali.
Queria derrotar o samurai e aumentar sua fama.
O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo.
Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.
Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.
No final do dia, sentindo-se já exausto e humilhado, o guerreiro retirou-se.
E os alunos, surpresos, perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade.

- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo, respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem o carregava consigo.

A sua paz interior depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma. Só se você permitir.

Profundo né? E haja exercício

domingo, 26 de abril de 2009

Fragmentos da minha domigueira

Formação rochosa de um lago da Birmania que somente pode ser visualisada dessa forma e com iluminação apropriada para fotografia em determinadas épocas do ano. Observe-a de outro ângulo abaixo.

"Domingueira": coisa que se faz no domingo, geralmente à tarde. Mais conhecido entre os pagodeiros como pagodear na lage. Como não sou fã de pagode e nem de lage. Vamos aos meus fragmentos de domingo:

:)Dormir as 10 e acordei às nove da manhã! Estou orgulhosa de mim, para quem tem insônia isso é o auge do prazer. Acordei com um sorriso de ponta a ponta e descasnsada, ai ai...Por favor meu Deus, ou Santa Caminha, mais domingos assim...;

:)Cara, juntar minha mãe, meu irmão e eu ficarmos sentados tentando imitar a abertura de "Caminho das Índias" enquanto meu irmão grunia a música de abertura foi hilário. Era a gente tentando dissicronizar o movimento dos braços para fazr Shiva, o grunido rolando e todo mundo querendo fazer igual, mainha parecia uma garça querendo voar...(rsss). Faltou somente um quarto para fotografar a cena;

:) Esqueci de comentar mais uma história gestacional interessante da minha última postagem:
"- Quando tinha dez meses minha irmã de dezenove anos se matou. Deixou uma carta dizendo que era porque ia repetir de ano mais uma vez e iria perdera a bolsa. Nosso pai ia ficar fulo da vida...E assim eu descobri que ela tinha se matado porque uma vizinha me contou quando eu tinha 10 anos e fui tirar a limpo com minha mãe. Eu pensava que ela tinha morrido de apêndicite. Ela enrolou, mas contou. Meus irmãos sempre contam a mesma coisa, nenhum fato novo, mas eu acho estranho porque ela morreu quando tinha 19 anos. Não era nenhuma criança. Mais ou menos na década de 79-80... - o substituto.

- Talvez por isso sua mãe tenha sempre super protegido-o, como forma de espiar a culpa pela filha ter se matado e você estabeleceu com seu pai essa relação tensa. Você tomou o lugar dela no sentido de fazer com que ele sentisse o que seria o real motivo da morte dela: a opressão de um pai tirano. Por isso que você tenta cada vez mostrar sua rebeldia... - eu

- Faz sentido - o substituto"

:)lembra da foto no começo? Se você Girá-la é isso que irar ver...Lindo não?

:) Para finalizar olha que interessante:
DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS :


> Segundo a psicóloga americana Louise L. Hay todas as doenças são criadas por nós.
> Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no organismo.
> Todas as doenças tem origen em um estado de nao-perdão, diz a psicóloga.
> Sempre que estamos doentes nescessitamos descobrir a quem devemos perdoar.
> Significa que precisamos perdoar mais.
> Pensar, tristezas, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão.
> Perdoar dissolve o ressentimento.

> A seguir uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas, elaboradas pela psicologa:

> DOENÇAS;CAUSAS

> Amigdalite (garganta inflamada)

Emoções reprimidas, criatividade sufocada

Ódio ao extremo de si memo

> Apendicite

Medo da vida, bloqueio do fluxo do que é bom.

> Arterosclerose

Resistência, recusa de ver o bem

> Artrite

Critica mantida por longo tempo

> Asma

Sentimento contido, choro reprimido

> Bronquite

Ambiente familiar inflamado, gritos , discuções

> Cancer

Mágoa profunda, tristeza mantida por muito tempo

> Colesterol

Medo de aceitar a alegria

> Derrame

Resistência. Rejeição a vida

> Diabetes

Tristeza profunda

> Diarréia

Medo, rejeição, fuga

> Dor de cabeça

Autocritica, falta de valorização

> Dor nos joelhos

Medo de recomeçar, medo de seguir em frente

> Enxaqueca

Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista

> Frigidez

Medo, negação do prazer

> Gastrite

Incerteza profunda, sensação de condenação

> Hemorroidas

Medo de prazos determinados, raiva do passado

> Hepatite

Raiva, ódio. Resistência a mudanças

> Insônia

Medo, culpa

> Labirintite

Medo de não estar no controle

> Meningite

Tumulto interior, falta de apoio

> Nódulos

Ressentimento, frustração. Ego ferido

> Pele (acne)

Impidualidade ameaçada. Não perdoa a si mesmo

> Pneomonia

Desespero, cansaço da vida

> Pressão alta

Problema pessoal duradouro não resolvido

> Pressão baixa

Falta de amor quando criança

> Prisão de ventre

Preso ao passado, medo de não ter dinheiro suficiente

> Pulmões

Medo de absorver a vida

> Resfriados

Confusão mental, desordem, mágoas

> Reumatismo

Sentir-se vítima, falta de amor, amargura

> Rinite alérgica

Congestão emocional, culpa, crença em perseguição

> Rins

Medo de crítica, do fracasso, desapontamento

> Sinusite

Irritação com pessoa próxima

> Tireóide

Humilhação

> Tumores

Alimentar-se de mágoas, acumular nervoso

> Úlcera

Medo de não ser bom o bastante

> Varizes

Desencorajamento. Sentir sobrecarregado .

Meu Deus eu me encaixo exatamente no choro reprimido, no ambiente familiar inflamado, além de medo de alegria, no culpar-me, de ser presa ao passado e no medo de não ter dinheiro, na confusão mental, nas mágoas e não perdoar a mim mesmo que forte né? E não é que hoje meu corpo está dando panes? O que será? Mais aí canto a música da Xuxa: "Libera geral, libera geral, então libera..."

sábado, 25 de abril de 2009

Parir: unir e separar


-Meu pai minha queria muito . Fez tratamentos e esperou que minha mãe engravidasse durante três anos. Ele até cogitaram adoção, diga aí? Imagine? Minha mãe ficou grávida de mim...Eu vim para superar desafios talvez seja por isso que adoro um desafio - "Aquela que seria".

-Isso me fez pensar na minha mãe. Ela disse-me que me quis muito e que meu pai não queria filhos, então, ela furou a camisinha e engravidou. Ela tinha certeza que era uma menina, escondeu a gravidez do meu pai por alguns meses para que ele não a forçasse a abortar - eu

- Mas porque ela queria tanto um filho? - me perguntou "Aquela que seria".

- Sei lá. Ela disse que queria alguém que fizesse companhia a ela. Ela sempre se sentiu carente, afinal ela mesma foi fruto de uma gravidez rejeitada. E gêmea! Minha mãe era gêmea. Nasceu depois da minha tia para piorar o mau humor da minha avó. Se não queria uma, imagine duas. Mas apesar dela falar da irmã com saudosismo, sempre relata as histórias de maus-tratos da irmã em relação a ela... - eu

-Então...? - "Aquela que seria".

- Minha mãe quis me colocar no lugar da irmã gêmea dela, já que nasceu colada. Talvez por isso que às vezes também troca meu nome com o dessa irmã que já faleceu vítima de um câncer. Minha avó Hitler tenta me tratar bem para reparar o fato de ter rejeitado minha mãe. E minha mãe me usa para mediar essa relação complexa. Eu, que não sou besta, convenci minha mãe de ter um outro filho. Assim eu e meu irmão dividimos as responsabilidades com ela. - eu

* Vocês já imaginaram uma mistura de Melissa Cadore de Caminho das Ìndias com Babalu, personagem de Letícia Espiler na novela "Quatro por Quatro"? É quase a visão do inferno e do Frankstein. Ouvindo a história gestacional dessa criatura, olha as pérolas:

- Minha mãe me teve em casa porque quando foi para vila procurar o médico, ele disse que eu estava morta. Ela voltou para casa e me teve. "Inviveci" como diz meu marido - Melissa Babalu Cadore.

Mais tarde da sala da injustiça do Banheiro:
- Agora eu entendo muita coisa. Por isso que ela sente necessidade de sempre renascer, de ressurgir das cinzas - "Aquela que seria".

Me acabei de rir e quando foi mais tarde na sala da injustiça, Melissa disse que tinha ido numa boate que dias depois pegou fogo. Então lembrei do comentário, enquanto ela dizia que o marido afirmava enquanto ouvia o noticiário no jornal:

- Tá vendo. Você ia voltar numa caixa de fósforo.

Então pensei no comentário do renascer e segurei o riso enquanto pensava: "Seria a fênix que renace ou quem sabe o protagonista do filme "Hellraiser: renascidos do inferno";

Conversando sobre parir mais tarde no MSN...
- Oba kkk eu fui gerada no meio de uma plantação de batata inglesa, com meus pais bêbados. Mainha achava que eu era a pré-menopausa dela. Ela morava em Areia e painho trabalhava aqui em campina. Durante a gravidez a gente fica sensível, insegura. Ela passou os 9 meses achando que tava sendo traída e, quando tava no sexto mês, descobriu que a minha irmã de 6 meses tinha diabetes. Passou os 3 meses restantes sofrendo com os tratamentos dela. Entaooooooooooooo vai ver por isso eu tenho poBREMA.

- Talvez você seja independente demais, justamente porque teve que aprender logo cedo a se virar sozinha com sua mãe preocupada com sua irmã diabética - eu.

- Gostei da explicação... hum... faz sentido.




quinta-feira, 23 de abril de 2009

Vamos fazer de conta


Vamos fazer de conta que é uma fase.

Vamos fazer de conta que estamos de férias.

Vamos fazer de conta que logo vamos nos ver.

Vamos fazer de conta que o tempo não nos importará e que a distância não nos abalará.

Vamos fazer de conta que não dói.

Vamos fazer de conta que mais uma vez não chorei com a sua partida.

Vamos fazer de conta que depois de mais um dia de trabalho não escutei nossa música quando você não estava mais lá.

Vamos fazer de conta que não vi suas, "nossas coisas", como você diz , pelo quarto.

Vamos fazer de conta que foi por acaso você deixou aquele livro que eu queria e precisava.

Vamos fazer de conta que não vi o "ajudante de papai noel" com sua toquinha verde me esperando em cima da cama.

Para que ele me guarde e me dê o carinho que a distância você nem sempre poderá dar, mas tentará. Eu sei.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Se

Quantas vezes você já deparou-se com o "se": se eu fizer isso", seu eu fizer aquilo, "seu tivesse feito"...Sempre adotei o lema que é melhor se arrepender por algo que fez do que por algo que não fez, para no final das contas não fique aquela sensação do mas, "se". Ao final da noite me peguei pensando: se ele tivesse dito a verdade? Se ela tivesse feito outra escolha? Se ele tivesse dado a mão, o abraço? Se ela tivesse encarado? Se ele tivesse ido além do fio condutor dos romances contados e se permitisse estar mais próximo, romper a barreira, teria sido diferente? A narração que embalou os romances também foi o alimento da saudade e berço final para tudo...Para quem não planeja existe o "se"? Ou apenas o instinto de fazer...

Foram as perguntas que o filme "O Leitor" me suscitaram à noite. Além de perceber que nem tudo que parece é e que por trás do que parece unânime, existe motivos únicos e particulares...Vale a pena ver o suspiro que se expressa na barrriga, mas vem do fundo da alma. O que impediu de ir além? Maturidade?


Comentando:
Jad: arrassada é gíria, mas você foi sabia no que disse e concordo plenamente...relax baby!


terça-feira, 21 de abril de 2009

Em destaque: Diálogos cotidianos



1. "Isso serve tanto para homens, quanto pra mulheres. Ninguém gosta de ninguém tão disponível, tão bonzinho. Mas como em tudo na vida, vale o equilíbrio e a razão, além do coração. Como diz minha amiga Vivi, pra amar, a gente tem que entender o amor e pra entender, tem que usar a cabeça. Amar só com o coração é furada na certa" (Segundo Jad que citou Vivi);

2. Meu Deus fui ao shopping atrás de um look novo e no meu tira e bota...
- Mulher eu estou aqui atrás de um look novo e nada assim...- eu
Jad aponta para cabeça e diz:
- Primeiro está aqui.
Ok! Jogo a toalha para você. Me arrasou com total razão. E eu sei lá o que tem dentro da minha cabeça. Nada que me esprema demais e exiga demais de mim, por favor;
3. - É minha filha, a gente aqui é assim: do mesmo que ajuda a gente derruba, então, não faça direitinho não...- "colega" de trabalho.
- Ok! Ok! Lembre-se amiga, amiga... - eu tenho que avisar ao butantan né?

Menina, que mundo é esse hem? Tô bege. Será que eu consigo ficar mais?

4. - Você não está bem não, né? - meu irmão
- É. Assim não estou bombando para sair, mas...vamos lá. Por quê?
- Porque a maquiagem não está combinando, o cabelo não está ajudando, assim... -ele
- Como assim. Eu fiz até uma maquiagem mais leve hoje, mais clara e tal...
- É porque tua maquiagem está com cara de quem acabou de acordar cinco horas da manhã - ele.
Expulsei ele né? Porque supersincero assim é demais, maquiagem discreta, cabelinho soltinho e tubinho preto, ter cara de cinco da manhã é foda:amassada com rímel até no nariz, aff;


5. Sem tempo para pegar ônibus e ir para o yôga minha vó Hitler se ofereceu a pegar-me e buscar-me no trabalho dois dias da semana para que eu não deixasse de ir. Será que os fins justificam os meios? Porque de acordo com ela:


- Assim eu não perco o "corpinho" que já conquistei. Quebra mais o seu lombinho...[Tudo bem. Quem tem lombo é porco, ou porca no meu caso]
6. Dica: Como ter uma DR (discussão de relação) nu feriado ou fim de semana? Simples. Chore muito. Em seguida desabafe com alguém. Depois descarregue novamente expondo seus reais sentimentos raivas, frustrações etc. E por último separe o que é seu e o que é do outro, ou seja: Qual a sua resposnabilidade e qual a responsabilidade do outro. Finalize tentando conversar tentando expressar seus sentimentos de forma sincera, sem cobranças ou acusações. Nada de empurrar a sujeira para debaixo do tapete, mas é importante prestar atenção nos momentos [Esse foi mais uma tentativa do programa Casos de Família...]


7.Meus momento amo tudo isso por ordem de prioridade (parte IV):



Amo muito ser protegida


Amo muito ser bem tratada


Amo muito a companhia de pessoas felizes

Amo muito o mar

Amo muito tirar fotografias.

Amo muito saber bastante

Amo muito escrever









Amo muito o que é belo e não tem explicação











Amo muito raspar panela de doce e companhia, acrescento






Amo muito ganhar flores






Amo muito fofuras











Amo muito roupa lavada e passada



Amo muito não ter pressa para nada







Amo muito me perfumar











Amo muito curiosidades






Amo muito colecionar cacarecos



[no meu dialeto quinquilharias]











Amo muito o cheirinho do ar da manhã

Amo muito Ano novo






Amo muito mistérios


Amo muito comer o que ninguém come [Urru!]

Amo muito montanhas



Amo muito ser do contra

[num é tanto não, mas é que unânimidades geralmente são burras né?]


Amu muito cheiro de bolo assado

[porque logo logo ele fica dormido é bom demais]

Amo muito meu cabelo

[também o que invisto nele. Aquele ditado: "O hábito faz o monge", então, a necessidade transforma a pessoa]



Amo muito ser o primeiro da fila
[resquícios de CDF né? "Prefior não comentar"]

Já amei mais, hoje nem tanto...É! A vida é dura meus jovens.






Amo muito ler antes de dormir



[hoje basta ver o livro que já durmo ou tenho insônia, vixe..]




Amo muito ter esperança

[fazer o que né? É a última que morre, mas também é a primeira que mata, enfim...]


Amo muito pensar

["mim num qué bincar disso mais não.."]




Amo muito ser do bem
[e lá vai entrando nos fundos sem cuspe e nada, só areia...]





Amo muito sonhar com um mundo melhor

["é melhor sonhar acordada do que ter pedadelo dormindo apói..."]



segunda-feira, 20 de abril de 2009

As sete últimas também tá




As sete últimas seguindo o caminho de Jad:

7 perfumes que adoro em mim



* Ops;

* Malbec;

* Linda;

* Maracujá da Natura;

* Acordes Gold;





7 perfumes que adoro nele:



* Malbec;

* Biografia;

* Cheiro de Sabão Omo:

* Sabonete/Shampoo Dove;

* Homem com beijo de chocolate;

* Homem com desodorante.




7 sites nos quais entro todo dia:






* Blogspot;

* Between Us;

* A vida sem Manual;




7 programas indispensáveis


* Picasa;

* Word;

* Aurélio virtual;

* Ares;

* Paint;

* Budpocke;

* moviemaker




7 palavras/frases constantes no meu vocabulário:


* Isso é um capitalismo selvagem, avassalador e estuprante;

* Né isso!!;

* Itinho vem aqui!;

* É muito sofrimento psiquíco;

*Aquela história...;

* Cadê meu óculos? E minha chave?;

* Mainha, cadê minha roupa?


7 medos:


* Perder minha irmã siamesa;

* Pegar uma outra orientação maluca;

* De ser só uma bunda;

* De engordar e meus peitos cairem;

* De não ter chocolate;

* Do Futuro;

* De ser abandonada;






7 pequenos grandes prazeres:


* Comer doces;

* Ir a praia e ver o sol nascendo e se pondo;

* Acordar sem despertador nos finais de semana;

* Assistir filmes;

* Sentir o vento no rosto;

* Andar de bike;

* Rir com besteira




E acrescentendo, 7 fantasias realizáveis e/ou realizadas:


* Raj dançando para mim e depois me agarrando;

* Pegar o "salve-salve";

* Usar a mesa de sinuca para furnicação;

* Usar a piscina também para furnicação;


* Furnicação na chuva;
* Pula-pula de colchão de mola;

* Em cima do capô do carro


domingo, 19 de abril de 2009

Resíduos liquidificados

* O capítulo de ontem em "Caminho das Índias" Murilo, irmão de Tônia, disse algo que já afirmava a muito tempo as minhas colegas:


- Nenhum homem gosta de uma mulher muito disponível. De uma que sirva de mãe, que cole os caquinhos dele quando ele está distruído porque depois ele olha para ela e lembra de como ele o viu, como um fraco.


Ou seja, mulheres enfermeiras passam, afinal "homens merecem carinho e desprezo né?" Lembrem: Olá enfermeira! - em Animaniacs


* Um senhor sexagenário estende as mãos em direção as pessoas que estavam na minha mesa de uma capacitação em educação inclusiva. O senhor esmolava e então como o lanche oferecido aos capacitados era iorgute e salada de fruta, decidi oferecer o iorgute, já que eu comía a salada de fruta. Sabe o que ele fez virou-se e foi embora. Eu...

- Menino num é que ele não gosta de iorgute? E eu aqui sem dinheiro estou comendo salada de fruta e iorgute. Ele está podendo em meninas...

Minutos depois, rodando as mesas, as organizadoras do lanche deu salada de frutas ao sexagenário e ele saiu com ela. Na minha percepção, sentindo-se coagido com a minha fala, decidiu levar a salada oferecida e que havia sobrado dos lanches. Não perdi o momento:

- A tá gente! Olha só é porque ele não gosta de iorgute, mas de salada. Tá melhor do que eu que num tô podendo escolher né?
Comentários a parte: Acho que todo mundo tem direito a tudo, inclusive o que é bom. Entretanto, nem sempre a gente pode escolher. E a gente escolhe quando pode, não é? Pelo menos eu acho.




* Casa de estudante sabe como é? Ás vezes tem o que comer. Às vezes não. Às vezes é só besteira. Então, passou uma criança pedindo esmola e minha colega deu um pacote de biscoito recheado. Dias depois, novamente: outro pacote de biscoito recheado. Numa terceira vez, ela deu um outro tipo de biscoito doce, sem ser recheado. A criança pedinte:
- A senhora não tem aquele outro biscoito não?
[Como assim Bial?]


* Minha mãe Amy tentava cochilar, já que tem insônia, quando um homem bateu forte no portão:

- Ô de casa!

- Diga? - mami Amy

- Me dê dinheiro! - Ordenou o homem.

- Tenho não. - mami

- Eu quero dinheiro. - o homem

- E por acaso eu sou sua cafetina seu filho da puta. - mami

E ele começou a abalar o portão de casa, exigindo dinheiro, enquanto minha mãe ameaçava meter o pau nele. Pode?



* Uma mãe tem uma simulação de desmaio. As interventoras vão socorrê-la.

- A! Isso é piti - uma delas.

- Vamos fulaninho - falavam para a criança - Sua mãe não está bem. Você precisa entender.

- Eu não vou. Eu vou matar essa rapariga, essa porra, esse caralho, eu quero que ela tome no cú.

- Sua mãe não é uma rapariga. Não é uma porra. Não é um caralho e ela não vai tomar no cú.
Ou ela não deveria ter dito: "Sua mãe não é isso". Será que no fundo no fundo, a interventora queria dizer tudo isso para a mãe do guri que batia, cuspia e chutava todo mundo?


sexta-feira, 17 de abril de 2009

Resíduos de momentos hilários


- Tudo que eu queria era que um homem se ajoelhasse na minha frente e cantasse essa música [a da banda Chiclete com Banana que tocava num celular no momento] – uma colega.

- “Tavendo”? E se ele fizesse? E daí? Seria nada por nada [traduzindo: depois daquele momento, tudo passaria. Seria apenas um momento, um rompante, sem maiores significados...] Como eu falei antes para você. – a tal colega reafirmou para mim ao ver e ouvir a outra. Estou cansada disso: de nada por nada.

- Olha só, hoje você fez alguém feliz. – afirmei.
- Mas por quê? –a colega do nada por nada.
- Porque eu achava que não encontrava alguém para estabelecer um contato mais profundo porque eu era a Fiona do Sherk, mas vendo que você é linda, loira, nórdica e com olhos de Bruno Gagliasso, o problema não sou eu definitivamente.
- A tá você fica feliz com a infelicidade dos outros né? A colega.
- Veja pelo lado positivo: a felicidade de uns é a infelicidade de outros. Faça alguém feliz. Transforme num lema que como me disseram... se a esperança é a última que morre também é a primeira que mata;

* Charada 1: O que é que se faz numa sala com pelo menos seis crianças com diferentes problemas? Resposta: A dança do Siri. Fica correndo de um lado para outro com os braços abertos evitando que abram os armários, corram para o banheiro, tirem a roupa, não se matem e continuem sem sair da sala na tentativa de estabelecer um contato quase extra-terrestre. E depois de uma hora dá “Graças à Deus!” . E pensa: “E lá vamos nós”...Posso chamar a super Nani do S besteira?

* Charada 2: O que é que fazem duas pessoas saírem sorrateramente de um evento quando um dos personagens tem uma tendência a Melissa Cadore? Rezar é que não foram...nada contra. Podem "rezar" a vontade, mas aí impedir que os relis mortais também possam sair do evento para não deixar de a figuração em destaque é foda...;

* Lembrete número 1: Me foi dito que "homem só merece duas coisas: carinho e desprezo...Olha só que legal! Em seguida: "Não tenho como me defender dos pensamentos" [Me identifiquei geral];


* Lembrete número 2: caso fuja não esqueça de suas calcinhas e sutiãns, acrescento essa última parte. [Eu tenho nóia com peito caído né?]. Minha amiga foi fugir de casa e não sabe até hoje o paradeiro do saco de calcinhas dela. Detalhe: a maior preocupação dela, no entanto, é porque o saco perdido era de calcinhas sujas, sendo assim o trauma é que encontrem a sujeira e não as peças íntimas. A reclamação seguinte é o preço das benditas. Como reconstruir em poucos dias uma coleção de calcinhas: aquela menorzinha, outra maiorzinha, uma com babado, outra que combina com aquele sutiãn, enfim... Para mim seria um caos, se bem que sou a favor do movimento "priquita livre já!". A bichinha fica presa o dia todo, nam. Coitada. Salvem a priquita do cativeiro. Salvem a bichinha da instinção;

* "Me sinto um garçon servindo 50 mesas de uma vez. Dá para ser uma coisa de cada vez" e também "Estou cansada da ditadura do alto astral" (falas da personagem de Tudo Novo de Novo)


quinta-feira, 16 de abril de 2009

Outras 7 mais dramáticas


7 coisas que me irritam
* Burrice
* Lerdeza, acho que é com Z porque vem de lerdo onde não há S...
* Quem fala empurrando com o dedo, tocando, ou algo assim;
* Que falem enquanto assisto filme;
* Que falem durante uma palestra ou seminário;
* Que interrompam alguma tarefa que estou executando, inclusive leituras;
* E no dia de hoje Traição, num é que vi no orkut do meu amigo, agora não sei mais se irmão, que ele me abandonou/trocou para passar o feriadão com a Dedina da minha vida da novela "A favorita"

7 coisas sem as quais não sei viver
* Brincos;
* Perfum;e
* Bolsas enormes;
* Rimel incolor para sombrancelhas;
* Vestido folgado;
* MP3
*Lápis preto

7 coisas que não entendo:
* Por que as pessoas quando pegam ônibus se amontoam na porta da saída mesmo estando longe do seu ponto final?;
* Porque eu insisto em acreditar que todos são inocentes até que me provem o contrário;
* Por que quando me apego muito a um amigo ele vai embora, me passa uma rasteira ou me abandona?;
* Por que é que os comerciantes da feira central deixam seu local de trabalho/venda ainda mais sujo quando chove?;
* Por que continuo tendo o dedo podre da Marilda?;
* Por que ainda me incomoda a injustiça?;
* Por que sempre acho que "fui eu" quando as coisas acontecem?

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Mais sete


Pegando carono no post sobre sete de Jad no blog Between Us...Lá vai..
7 delícias culinárias
* Iorgute com granola (porque me acalma);
* Pettit gatêut;
* Sorvete
* Miojo
* Comida japonesa;
* Soja;
*"Chocolate, chocolate, eu só quero chocolate, não adianta vir com guaraná para mimé chocolate o que quero beber..." (Principlamente se for Special Dark da Hershey de menta, ui!)

7 líquido divinos
* Água:
* Água de coco:
* Suco de limão:
*Suco de abacaxi, hortelã e couve;
* Suco de Laranja;
* Cerveja;
* Tequila;

7 coisas que adoro fazer:
* Ler um livro por prazer e não por obrigação;
* Assistir filme, principalmente as comédias românticas e os de terror;
* Ouvir blues ou rock na hora H;
* Sair com os amigos mais chegados;
* Comprar perfume;
* Andar de bicicleta:
* Sentir o mar.


7 atores que pagam o filme
* Nicolas Cage;
* Lásaro Ramos;
* Wagner Moura;
* Adam Sandler;
* Jack Nicholson;

7 atores bonitões que também pagam o filme e a novela também, ainda acrescento:
* Brad Pitt;
* Goeorge Cloney;
* Keanu Reeves;
* Rodrigo Lombardi ( O Raj de Caminho das Índias);
* Rodrigo Santoro;
*Antônio Fagundes (Desde de criança me imaginava naqueles pés de jequitiba na Bahia, sendo salva pelo facão do rei do cacau da novela Renascer e com trilha sonora de Adriana Calcanhoto)
*O batman (não importa o ator, o importante é a máscara e o Bruce Wine... claro que Val Kilmer, por exemplo, não é de se jogar fora...)

7 filmes que ADORO:
* Closer;
* Cidade dos Anjos;
* Laternas Vermelhas;
* Casa do Lago;
* O Diário de Bridget Jones;
* Frida;
* V de Vingança;


7 filmes que recomendo:
* Escritores da liberdade;
* Dança com Lobos;
* Um sonho de Liberedade;
* Modgliane;
* Jogos Mortais;
* Laranja Mecânica;
* Nascidos em Bordéis:

7 livros marcantes:
* Pequeno Príncipe;
* Memórias de Minhas Putas Tristes de García Marquez;
* Mafalda de Quino:
* Harry Potter;
* Preceptores Imorais de Marquês de Sade;
* Vira-vira Lobsomen;
* A vida é um Jogo de Schuwtz

7 cheirois MARAVILHOSOS:
* Roupa Limpa;
* Chocolate;
* Incenso de Sândalo;
* Sabonete de Erva Doce;
*Hidratante de maçã e Linhaça da natura;
* Óleo trifásico de Maracujá da natura;
* Livro novo

7 flores lindas:
* Orquídea do tipo catiléia:
* Azaléia:
* Girassol;
* Rosas Vermelhas;
*Roseira Paulista;
* Violetas;
* Dente-de Leão

7 músicas memoráveis:
* Madama Morama Murari - Homem de Deus (um mãntra);
* Beautiful Day (U2);
* I'm too sexy (Right Said Fred);
* Beija Eu ( Marisa Monte)
* Senhas (Adriana Calconhoto)
* Don't you cry (Gun's in roses);
* Quelqu'un m'a dit (Carla Bruni)

7 coisas imprescindíveis num HOMEM:
* Olhar de cachorro abandonado (ou então, o 43 às vezes funciona);
* Sorriso Largo (feito o do ator de Bruno Lombarde);
* Que seja carinhoso (odeio homem burucutu e que beija arrancando as amídalas)
* Que dê abraços de ursinho Puff (macio e bem apertado);
* Um peito lisinho ou semi-liso para deitar (detesto cabeludos, além de barba e bigode. Eca!)
* Inteligente, urru! (sei que é difícil, mas basta que não goste de forró, seja curioso e letrado,ora!)
* Solidário, odeio homem avarento. Compartilha-se alegrias, tristezas, problemas e dinheiro também né?
E haja pintar o sete...

terça-feira, 14 de abril de 2009

Histórias de amor


Ouvi hoje de algumas colegas de trabalho que meninos prefrem gastar dinheiro com coisas de tecnologia. Acham que estão investido, mesmo que seja um "brinquedinho" a mais para eles...e meninas com coisas para casa, para família e ela mesma. Tudo que não estiver dentro do universo tecnológico, portanto, não é considerado pelos homens, embora elogie e goste das mudanças que veem na casa, na mulher, enfim...Aí lá veio a história de pedir dinheiro aos familiares no aniversário, ao invés de presentes, para entrar num consenso de investir em coisas de casa e do gênero... E uma outra, de um casal de namorados, que abriram mão de seus presentes de dia dos namorados para comprarem juntos um presente para os dois: uma máquina fotográfica para registrar os melhores momentos dos dois.


Achei lindo e romântico. Até porque como há essa contenda entre meninos e meninas, geralmente presenteá-se com o que o namorado e/ou a namorada deseja e os projetos em conjunto só depois de casados e várias negociações argumentadas.


Foi simples a atitude? Foi. Mas como privilegio os presentes que são feitos pelas próprias mãos, as pequenas demonstrações de carinhos, bem como as pequenas surpresas, achei a minha cara. Sem contar que amo fotografia, né? Ou seja, a história uniu o útil ao agradabilíssimo... Será que existem histórias assim que não são de filme? Eu tentei lembrar de alguma minha, mas não consegui...Talvez porque "a grama do vizinho sempre é mais verde".

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Ninguém escreve canções se não for sobre relações difíceis


"Ninguém escreve canções se não for sobre relações difíceis", diz um dos personagens da série "Verônica Marshel: a detetive" que passa no S besteiera.


Eu acrescentaria ainda, nem canções, nem poemas, nem dores de cotuvelo, nem histórias mirabolantes para contar aos amigos, filhos e netos...mas também não tem o sossego e a tranquilidade de ter um ombro amigo para se aconchegar, alguém com quem contar e principalmente em quem confiar nos momentos mais difícieis sem medo de ser deixada para trás ou quem sabe egoistamente negligenciada pelas necessidades do outro. Será que é trocar seis por meia dúzia? Até pode ser...Entretanto, acredito que não. Especialmente acredito que cada um aprende a arcar com as consequencias de suas escolhas dentro do que é mais fácil para cada um. Sendo sartriana:


"Não importa o que fizeram de ti, mas o que você faz do que fizeram de ti" (Paul Sartre)