sexta-feira, 17 de abril de 2009

Resíduos de momentos hilários


- Tudo que eu queria era que um homem se ajoelhasse na minha frente e cantasse essa música [a da banda Chiclete com Banana que tocava num celular no momento] – uma colega.

- “Tavendo”? E se ele fizesse? E daí? Seria nada por nada [traduzindo: depois daquele momento, tudo passaria. Seria apenas um momento, um rompante, sem maiores significados...] Como eu falei antes para você. – a tal colega reafirmou para mim ao ver e ouvir a outra. Estou cansada disso: de nada por nada.

- Olha só, hoje você fez alguém feliz. – afirmei.
- Mas por quê? –a colega do nada por nada.
- Porque eu achava que não encontrava alguém para estabelecer um contato mais profundo porque eu era a Fiona do Sherk, mas vendo que você é linda, loira, nórdica e com olhos de Bruno Gagliasso, o problema não sou eu definitivamente.
- A tá você fica feliz com a infelicidade dos outros né? A colega.
- Veja pelo lado positivo: a felicidade de uns é a infelicidade de outros. Faça alguém feliz. Transforme num lema que como me disseram... se a esperança é a última que morre também é a primeira que mata;

* Charada 1: O que é que se faz numa sala com pelo menos seis crianças com diferentes problemas? Resposta: A dança do Siri. Fica correndo de um lado para outro com os braços abertos evitando que abram os armários, corram para o banheiro, tirem a roupa, não se matem e continuem sem sair da sala na tentativa de estabelecer um contato quase extra-terrestre. E depois de uma hora dá “Graças à Deus!” . E pensa: “E lá vamos nós”...Posso chamar a super Nani do S besteira?

* Charada 2: O que é que fazem duas pessoas saírem sorrateramente de um evento quando um dos personagens tem uma tendência a Melissa Cadore? Rezar é que não foram...nada contra. Podem "rezar" a vontade, mas aí impedir que os relis mortais também possam sair do evento para não deixar de a figuração em destaque é foda...;

* Lembrete número 1: Me foi dito que "homem só merece duas coisas: carinho e desprezo...Olha só que legal! Em seguida: "Não tenho como me defender dos pensamentos" [Me identifiquei geral];


* Lembrete número 2: caso fuja não esqueça de suas calcinhas e sutiãns, acrescento essa última parte. [Eu tenho nóia com peito caído né?]. Minha amiga foi fugir de casa e não sabe até hoje o paradeiro do saco de calcinhas dela. Detalhe: a maior preocupação dela, no entanto, é porque o saco perdido era de calcinhas sujas, sendo assim o trauma é que encontrem a sujeira e não as peças íntimas. A reclamação seguinte é o preço das benditas. Como reconstruir em poucos dias uma coleção de calcinhas: aquela menorzinha, outra maiorzinha, uma com babado, outra que combina com aquele sutiãn, enfim... Para mim seria um caos, se bem que sou a favor do movimento "priquita livre já!". A bichinha fica presa o dia todo, nam. Coitada. Salvem a priquita do cativeiro. Salvem a bichinha da instinção;

* "Me sinto um garçon servindo 50 mesas de uma vez. Dá para ser uma coisa de cada vez" e também "Estou cansada da ditadura do alto astral" (falas da personagem de Tudo Novo de Novo)


Um comentário:

  1. Ainda tô morrendo de rir com a charada nº1!
    kkkkkkkkkk
    Tenho um único filho que me faz dançar quase diariamente a dança do siri, imagina seis crianças! Só se virasse um polvo, ai não seria mais a dança do siri! kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...