domingo, 19 de abril de 2009

Resíduos liquidificados

* O capítulo de ontem em "Caminho das Índias" Murilo, irmão de Tônia, disse algo que já afirmava a muito tempo as minhas colegas:


- Nenhum homem gosta de uma mulher muito disponível. De uma que sirva de mãe, que cole os caquinhos dele quando ele está distruído porque depois ele olha para ela e lembra de como ele o viu, como um fraco.


Ou seja, mulheres enfermeiras passam, afinal "homens merecem carinho e desprezo né?" Lembrem: Olá enfermeira! - em Animaniacs


* Um senhor sexagenário estende as mãos em direção as pessoas que estavam na minha mesa de uma capacitação em educação inclusiva. O senhor esmolava e então como o lanche oferecido aos capacitados era iorgute e salada de fruta, decidi oferecer o iorgute, já que eu comía a salada de fruta. Sabe o que ele fez virou-se e foi embora. Eu...

- Menino num é que ele não gosta de iorgute? E eu aqui sem dinheiro estou comendo salada de fruta e iorgute. Ele está podendo em meninas...

Minutos depois, rodando as mesas, as organizadoras do lanche deu salada de frutas ao sexagenário e ele saiu com ela. Na minha percepção, sentindo-se coagido com a minha fala, decidiu levar a salada oferecida e que havia sobrado dos lanches. Não perdi o momento:

- A tá gente! Olha só é porque ele não gosta de iorgute, mas de salada. Tá melhor do que eu que num tô podendo escolher né?
Comentários a parte: Acho que todo mundo tem direito a tudo, inclusive o que é bom. Entretanto, nem sempre a gente pode escolher. E a gente escolhe quando pode, não é? Pelo menos eu acho.




* Casa de estudante sabe como é? Ás vezes tem o que comer. Às vezes não. Às vezes é só besteira. Então, passou uma criança pedindo esmola e minha colega deu um pacote de biscoito recheado. Dias depois, novamente: outro pacote de biscoito recheado. Numa terceira vez, ela deu um outro tipo de biscoito doce, sem ser recheado. A criança pedinte:
- A senhora não tem aquele outro biscoito não?
[Como assim Bial?]


* Minha mãe Amy tentava cochilar, já que tem insônia, quando um homem bateu forte no portão:

- Ô de casa!

- Diga? - mami Amy

- Me dê dinheiro! - Ordenou o homem.

- Tenho não. - mami

- Eu quero dinheiro. - o homem

- E por acaso eu sou sua cafetina seu filho da puta. - mami

E ele começou a abalar o portão de casa, exigindo dinheiro, enquanto minha mãe ameaçava meter o pau nele. Pode?



* Uma mãe tem uma simulação de desmaio. As interventoras vão socorrê-la.

- A! Isso é piti - uma delas.

- Vamos fulaninho - falavam para a criança - Sua mãe não está bem. Você precisa entender.

- Eu não vou. Eu vou matar essa rapariga, essa porra, esse caralho, eu quero que ela tome no cú.

- Sua mãe não é uma rapariga. Não é uma porra. Não é um caralho e ela não vai tomar no cú.
Ou ela não deveria ter dito: "Sua mãe não é isso". Será que no fundo no fundo, a interventora queria dizer tudo isso para a mãe do guri que batia, cuspia e chutava todo mundo?


Um comentário:

  1. 1. Isso serve tanto para homens, quanto pra mulheres. Ninguém gosta de ninguém tão disponível, tão bonzinho. Mas como em tudo na vida, vale o equilíbrio e a razão, além do coração. Como diz minha amiga Vivi, pra amar, a gente tem que entender o amor e pra entender, tem que usar a cabeça. Amar só com o coração é furada na certa.

    2. Eu não sei se já te contei a história, mas eu não dou esmolas, em comida, em dinheiro, ou seja o que for. Se alguém bate na minha porta pedindo esmola, eu digo não. Se alguém bate na minha porta perguntando se pode cortar o mato, eu arranjo qualquer serviço pra ele e pago com o maior prazer. O motivo disso é que, depois de uma das famosas festas de Natal que mainha fazia lá em casa, chegou um moço pedindo esmola. A gente pegou um daqueles pratos de papelão e encheu de coisas que sobraram da ceia... peru, arroz, torta, salgados, doces e tal. Cobrimos e entregamos a ele. Foi só o tempo de fechar o portão para o moço dizer "isso é lá comida". Quando abrimos o portão o moço tinha jogado tudo no chão...

    3. kkkkkkkkkkkkk Tua mãe é uma comédia mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Beijo

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...