quarta-feira, 27 de maio de 2009

À uma amiga que completou 30 anos


PS.:O texto abaixo não é meu e foi escrito em 2005 para um outra amiga de Jady, a autora, mas como "o tempo passa, o tempo voa e a poupança Bamerindos continua numa boa" - meu Deus bordão de propaganda antiga, ai!Mau sinal. - segundo a mesma também serve para mim nos meus quase 30. Mas antes da leitura, preciso deixar claro que: Caramba!Nunca quis deixar de ser criança. Acho que na verdade sempre quis ser criança com dinheiro (hehehe)...Não é a toa que muitos me chamam de criança e pombona. Claro, que não posso esquecer a "véia" ranzinza que os adultos insistem em despertam em mim. Que saco! E claro também que ainda, me apegava ao futuro e acho que perdi algumas coisas com isso...Mas sinceramente? Eu não sei como faria diferente. Mudaria uma coisa aqui e outra ali. No entanto, o caminho para o hoje seria o mesmo. Tenho que confessar para finalizar que, esperei muito algumas idades, os diamantes, e que fico chateada por não tê-los garimpado como sonhei...Por isso que hoje tento apenas viver e que como uma criança transformo tudo num faz-de-conta... fazendo-de-conta que minhas moedas de chocolate são as melhores do mundo, que sou a heroína do meu reino encantado...tantas coisas...

terça-feira, 4 de janeiro de 2005



À uma amiga que completou 30 anos

A gente passa uma grande parte da vida querendo ser "gente grande". Nos esticamos, colocamos os óculos do pai ou os saltos da mãe, na tentativa de nos "travestirmos" de adultos. O sonho maior é chegar aos 15 anos porque essa é a idade de ouro, cheia de promessas de um mundo e vida diferentes, de independência e de tudo poder. Os tão esperados (e dourados) 15 anos chegam e você espera, espera, espera e não sente nem uma brisa sequer de diferença. Percebe que, no fundo, nada mudou e você continua a mesma pessoa (agora com 15 anos), com os mesmos sonhos e a mesma vontade de continuar "crescendo".

A meta agora é chegar aos 18, com carteira de motorista e voto obrigatório (se a gente soubesse, não esperava tanto). Reluzem mais que diamante. Eles chegam, você olha pra trás e percebe que, agora, está ficando adulto. A essa altura da vida ou você já aprontou muito, ou não viveu quase nada porque estava esperando os 18. Muitas vidas mudam antes deles e outras, mais ainda, depois. A responsabilidade pesa mais, a consciência idem. E você, com esperança, mais uma vez, de que algo realmente mude, espera os 21, símbolo final de maturidade. Espera-os sentindo todo o peso do mundo em suas costas. "Querendo jogar, mas perdendo a aposta". As responsabilidades aumentam, a seriedade também e a da vez é esperar os 30.

E aqui a história muda de figura!!! Todos querem chegar aos 30 com um lugar ao sol. Com independência, casa, carro, companheiro, cachorro, papagaio e, algumas vezes, filhos. E aí, quando os 30 chegam e você olha ao redor e vê que só mudou mesmo a idade (e a quantidade de colágeno/elastina na pele), porque o resto continua igual, você entra num determinado desespero. Tilt. Morre de medo de olhar pra trás e, quando consegue, puft: chega a conclusão de que nada do que esperava em determinada idade, aconteceu. Ou aconteceu antes, ou depois, ou nem isso. E aí cai a ficha. Você tem noção exata da riqueza que foi sua infância. Percebe o quanto de tempo perdeu querendo crescer e sente uma vontade imensa de voltar no tempo. Fica se perguntando se "crescer é mesmo assim" e, se for, quer parar. Agora.

Por essa e por outras (e olhe que nem aos 30 cheguei ainda) que eu sempre digo: o barato é aqui e agora!!! Larga mão desse negócio de esperar a idade certa pra ser feliz, pra jogar no bicho, ter filho, comprar um carro, aprender a cozinhar, escrever um livro, plantar uma árvore, mandar o chefe pra PQP ou mandar a vizinha catar coquinho. A sua vida, amanhã, vai ser formada de um monte de "hojes". Então trabalhe seus "hojes" aqui e agora, porque esse é o único tempo de que dispõe. "Hojes" idiotas, infantis, cheios de risos bobos por coisas absurdas é o que nos fazem feliz!!!

Essa florzinha de pelúcia é para você lembrar que "hoje" existe dentro de você uma criança, doida pra crescer, mas que sabe rir de tudo, de todos e, principalmente, de si mesma. Não a esconda!!


Seja, sempre, uma criança feliz!!!

Beijos,

Jady


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...