quarta-feira, 22 de julho de 2009

Entre o extraordinário, o ridículo e o engraçado

A clássica da beleza americana nos extraordinários...

Lá vão mais alguns episódios a mais da minha vida cotidiana que estão entre o extraordinário, o ridículo e o engraçado:


* Você é um paradoxo barroco [que afirmação chic não? Mas essa não foi para mim tá. Essa foi direto de uma das minhas repórteres ancora. O carinha viu a foto dela no orkut parecendo a cena clássica de beleza americana e associo ao nome angelical dela. Sacou? Eu também não, por isso, pedi explicações: tipo que ele era sagrada nome e profana nas "cenas". Ui, ui, ui! ];


* Outra, vocês já viram uma comunidade na internet "Sou uma menina de família"? Perfil: sou uma menina pudica e adoro minha mãe, meu pai, meus irmão...Ai, ai, ai! Acho isso "tão lindo"...Faltou aquela despedida clássica da Xuxa: "Um beijo para mamãe, pro papai e pra você" [Olha aí num prometi que não ia noticiar não tá?];


Meu ridículo tá. Semana de muito estresse e ia me submeter a mais um exame na vida. E o que acontece de repente quando termino de preparar o material do "vestibularzinho a missão", número um milhão novecentos e noventa e dois mil? Quase fiz xixi nas calças. Estava tão nervosa, que de repente não deu mais para segurar e o bicho tava na "portinha" e eu me espremendo já esperando o xixi escorrer pelas pernas, ai que vergonha! Não tenho mais controle dos meu esficteres é? A última vez que aconteceu algo assim comigo foi quando meu irmão tinha um ano e alguma coisa e pegou a tesoura de costura da minha mãe e cortou-se próximo ao olho. Como ele esfregada a mão pelo rosto a ente só via sangue e pensava que ele tinha furado o olho. Pense num desespero. Até que mainha também desesperada me pedindo ajuda e eu dizendo: "Pera aí que fazendo xixi." E ela: "O que Thaisa? Uma hora dessa?". Depois quase desmaiei de nervoso;


* A outra foi um mapa que minha irmã gêmea fez para que eu não me perdesse na metrópole diante do meu alezamento por causa do "vestibularzinho". Lá vai a cópia:


IDA:


  1. ÔNIBUS 46 OU 54 ( O MICROÔNIBUS NÃO, SÓ O BUSÃO MESMO);

  2. DESCER NO VIA DIRETA;

  3. DESCER NO SETOR 2 DO CAMPUS ;

  4. SE FOR DE TÁXI PEDIR PARA DEIXAR NA BIBLIOTECA CENTRAL;

  5. LABORATÓRIO

VOLTA

  1. SAIR DO LABORATÓRIO [SERÁ QUE TAVA LESA?];
  2. SEGURI RETO NA RUA EM FRENTE A BIBLIOTECA CENTRAL ATÉ CHEGAR NO PRÉDIO EM CONSTRUÇÃO. LA ESTARÁ O PONTO DE ÔNIBUS;
  3. PEGAR O BUS 66, OU CIRCULAR, DESCER NA VIA DIRETA, ATRAVESSAR A PASSARELA, PEGAR O 46;
  4. QUANDO JÁ EM PONTA, PEDIR PARA O COBRADOR AVISAR A 3A. PARADA DOS BÚZIOS.

E NO VERSO AINDA TINHA O ENDEREÇO, CASO EU ME PERDESSE...Falto somente aquelas pulseirInhas de identificação de maternidade/ou usada pelas crianças nas praiAs do Rio de Janeiro. Jesus acende a luz!


* APESAR da agonia, o saldo do dia foi positivo para minha evolução como pessoa. Traumas a gente supera e lá vai o poema de Mário de Andrade que expressa bem o que sinto nesse momento. Vi lá na rua do vestibularzinho:


POEMINHA DO CONTRA

Todos estes que aí estão

Atravancando o meu caminho,

Eles passarão.

Eu passarinho!

Um comentário:

  1. Gostei de seu blog, um "leve" sofisticado, beijos, André Agra

    http://andreagraagra.blogspot.com/(Tempos do Imaginário)

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...