domingo, 30 de agosto de 2009

Adapta-se ao meu "ne me quitte pas"


Ontem depois de me degladiar com a net para baixar um player para filme, o que fiz da minha noite potiguar: VI FILME, ORAS!


Pois é, acho que a maioria das pessoas estariam pensando na balada devido a diversidade de opções, mas vamos dizer que eu ainda não cheguei naquela fase de independência que você simplesmente chega em um lugar e se diverte sozinha. Ainda estou acostumada a sair em "Clã". Vá que no "mundo das cavernas", alguém puxe uma clave e não há alguém que possa interceder? Brincadeirinhas a parte, o que é adpata-se ao meu "ne me quitte pas"? Refrão do filme o Divã cantado por Caetano. Tradução lieral é não me deixe, se adpate ao meu não me diexe. O filme é ótimo. Nem conto. Ou melhor conto em parte. Ao contrário do que sugere, não é um filme chato sobre análise, enfim...

Acho que trata-se de perceber que a vida não tem uma definição e você tem pelo menos duas alternativas: ou vê-la passar como numa vitrine, ou se arrisca e vive, sem saber se vai dar certo, se vai rir ou chorar. Pois é, no filme você mais rir do que chora. Mas cada lágrima vale a pena cada cadeia de risos. Uma troca justa. O que seria do riso senão fosse a lágrima e vice-versa tanto faz? Acrescento a isso, frases...:


"A gente não deixou de se amar, apenas não nos queremos mais"


As outras esqueci...Também... A noite foi menos divertida do que imaginei porque tive insônia. Que horas dormi? As 6 da manhã depois de dar uma volta na praia e ficar com frio;


* Acho que não consigo terminar a terceira temporada de Gilmore Girl's e olha que não é pela quantidade de horas em frente ao computador, mas porque começou a rolar as identificações de novo. Quais?


1) Já me senti a Rory, a Lorelay e até a Kim, normal, ok! Mas nunca havia encontrado um papel para o Jess ou Dean. Como assim? Achava que os meus relacionamentos não tinham garotos tão bons quanto o Dean, nem tão desajustados quanto o Jess, e o que descobri ontem? Que tive um Dean e que ele virou o Jess? Ai que horror, que decepção...Não sei se foi ter encontrado um "Dean" ou ele ter se tornado um "Jess" ou as duas coisas juntas...Definitivamente não dormir bem não faz bem. Redundante não? A cena em que Dean abraça a Rory e começa a dançar foi o que fez a ficha cair: ele deu um beijo na testa dela. Matou né? E quando ela disse que ele a protegia: Morri de novo e mal tinha acabado de ressuscitar. E por quê? Por que em mais um capítulo Lorelay perdi um partidão e seu sonho de família de margarina?;


2) Ok! Não vamos culpar o seriado ou a insônia. Pode ter sido a combinação explosiva dessas coisa com "Anjos da noite (parte III) e Divã. Acho que a "overdose" de relacionamentos desses filmes não me fez bem. Os filmes são ótimos, em categorias diferentes, mas sempre traz os amores platônicos...


3)Passei uma temporada sem conseguir ver filmes cabeças porque me remetia a questões sociais que me faziam sofrer porque não conseguia diluir o "quanto a sociedade é má..." ou coisas do gênero. E agora? Acho que estou na fase que não aguento ver amores se desfazendo, mas é fase..."Uma hora essa abstinência via passar". Adapte-se a esse meu "ne me quitte pas"...

Um comentário:

  1. Olha eu aqui de novo!!!!
    Concordo com vc, Divã é um filme muito bom e que no fim nos deixa uma lição. Adorei e chorei quando a amiga dela morre :(
    Ah, uma dica de filme: Quem quer ser um milionário??
    Muuuuuuuuuito bom e mostra a verdadeira Índia!
    Beijoss

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...