terça-feira, 18 de agosto de 2009

Por que chorar é preciso, mais rir então nem se fala


Bem, depois de algumas postagens um tanto deprê acho que está na hora de escrever algo mais auto-astral. O fato é que ontem depois de um passeio pela orla de ponta negra [podre de chic ?] e de ter recarregado as energias escutado minha nova trilha sonora - as melhores do CD de Ivete Sângalo "Pode Entrar" apresentado pelo casal 20 Nilo e Jad - lembrei de um episódio engraçado se fosse trágico, podendo ser enquadrado na categoria trash, da minha última visita em casa.


Vocês já ouviram falar que "praga" de mãe pega? Pois é! E de mãe/avó. Hitler profetizou da última vez que esteve lá em casa que o vaso sanitário um dia "hei de entupir". Por que? Porque mami Amy acha mais higiênico jogar o papel higiênico usado dentro do vaso, por isso quando nossa casa estava em construção pediu para que colocasse um cano bem largo. Além claro, de tomar medidas preventivas como comprar papel higiênico extra-macio, o que lhe rendeu várias tirações de onda minha do tipo "cuzinho de ouro". Papel colorido, com bichinho, perfumado, enfim, nada de papel de enrolar prego de armazém. Até que a alguns dias atrás minha avó usou nossa banheiro e um dia disse que minha mãe iria se arrepender quando tivesse que quebrar toda a instalação de cano da casa por caso desse hábito. Com a palavra mami Amy...


"-Eu é que não vou colocar papel de bosta dentro do meu banheiro para ficar aquele furtume e sem conta que as formigas podem ficar entrando e saindo daquele balde nojento. Nam! Prefiro deixar de comprar a carne para comer, mas não faço - nesse momento Mami Amy emendou com sua história de infância - Quando eu me lembro que quando era pequena me obrigavam a queimar papel de bosta. Olhe! Odeio cesto de banheiro e pinico porque passei minha vida toda [entenda-se a infância] carregando a bosta e o mijo dos outros".


Minha filha não deu uma semana não quando estava lá só ouvi meu irmão:


"- Gente! Jogaram um livro dentro do bojo".


Eu achei que era tiração de onda dele e fui conferir. Cara a água não estava descendo e tinha um monte de papel higiênico boiando...Quando disse a minha mãe ela já ficou dura. Sim, porque somente os mais íntimos sabem que mainha, como costuma chamá-la, tem mania de limpeza, se brincar é quase um TOC [transtorno obsessivo compulsivo]. era a hora do jantar ela disse que não queria saber, mas a forma como comia era cheia de raiva. Depois dessa reunião veio a tremedeira e ela nem conseguia olhar par aporta do banheiro.


Lá vamos eu e meu irmão tentar resolver o problema do banheiro. Quer dizer eu. Por que esse outro que tem TOC de limpeza e fica fazendo que ia vomitar. MEDIDAS: vários baldes d'água, saquinho duplo para revistar a mão e retirar o excesso de papel, depois enfiei um pedaço d e mangueira e nem um sinal de entupimento. O pior foi quando fui tirar o excesso de papel e um futucada no fundo... Mainha nessa hora foi ajudar. E o resultado? Quase me dava um bainho de água de bosta porque ela nem conseguia acerta o outro saco plástico para retirar os sacos plásticos que estavam na minha mão amarrados.


"- Mãe aqui! Aqui! Presta atenção" - e ela dura enquanto meu irmão ria e dizia que tinha sido praga de Hitler.


A partir dali até mesmo eu fiquei com nojo geral. Desisti da empreitada. Eles partiram para a segunda parte: ácido muriático e enfim o grande e velho desentupidor de desenho animado. Como meu irmão disse:


"- Agora comprei o super desintupiteitor TABAJARA".


O bicho parecia um desintupidor não. Parecia uma arma nuclear. Quando fui dar minha primeira bombada não resisti ao mal-cheiro e joguei a toalha: desisti porque a ânsia de vômito foi maior. Meu irmão colocou uma máscara e depois de duas bombadas: OOOOOOOORC! Desintumpiu para alegria da minha mãe e de sua tremedeira sem fim.


O motivo do entupimento tornou-se um mistério, mas quando sai de casa para viajar minha mãe não estava nada feliz em ter que recorrer ao velho e poderoso baldinho de banheiro...Coitada! E ao relatar o drama a irmã siamesa da troca de família que nesse momento havia saído, ela disse:


"- Ah! Minha filha por isso que o povo dessa casa quer que eu seja você. Afinal você é quase um machinho..."


E eu nem sei como é que resolveu-se o problema. Meu irmão declarou que iria desde já fazer greve e ficar entupido. Será que pode meu Deus?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...