quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Eu tô trevaliando tô?


No popular nordestês trevaliar significa ficar doido ou ter lapsos de consciência...E por quê eu me fiz a pergunta se estou trevaliando?


  1. Por que antes eu achava que moradia podia ser qualquer uma que tivesse o mínimo do mínimo para sobrevivência. Com o tempo, a idade, problemas com sono e tipos de comida, comecei a perceber que não é bem assim...Respeito o jeito que cada um quer viver - se numa barraca de campim, num casarão, numa pocilga - mas eu sei que eu preciso do mínimo mais para básico: lugar central, arejejado, limpo, seguro e confortável. Por isso que aqui em Natal procurei algo assim: simples, mas básico. Entreanto, fui sacaneada. Optei por uma hospedagem para adaptar-me em ficar de fato sozinha, mas nem tanto, e nisso a senhora com quem fiz o acordo disse-me que o melhor quarto ficaria para mim, com excessão de uma locação no feriadãod eoutubro passado. Então, ficaria uma semana num outro quarto menor. No ato ela não me mostrou o quarto porque estava ocupado, mas confiei nela - hoje duvido se estava mesmo...Mas como sou daquelas que acreditam que as pessoas são inocentes até que provem o contrário. A mulher depois deuma semana me informou que era o "quarto caixa de fósforo ou nada", com todo o arrodeio do gato subiu no telhado, ou nada. Era alta temporada e eu não poderia ficar no quarto que estava. Mas ela não me informou nada no ato? E agora como é passar a maior parte do tempo para descansar num quarto pequeno, quente, numa cama pequena e desconfortável, que para tomar banho tenho que estar fora do box porque sou grande e desviar do ventilador de teto?Às vezes me pego rindo dessa situação, sabe? Mas dei uma de doida e vou catar outro lugar mais cedo do que ela previa. "Olho por olho, dente por dente". Eu sou boa, mas quando sou ruim sou melhor ainda...

  2. Por que será que a gente tem o que merece? Tô perguntando isso simplesmente porque aqui ou lá sou posta em situações do tipo: "não quero ler", "não quero entregar a atividade"...e eu faço a conciliação, um acordo, sendo uma profê tipo democrática, mas hoje quando interpelei gentilmente sobre estarem atrapalhando a aula, um veio com quatro pedras na mão e para não pedir que se retirasse como se faz no maternal, em plena faculdade, ignorei e fiz de conta que nada tinha acontecido. Mas que meu vontade de mandar pelo menos tomar no cú, deu...Agora me diga como pode haver imparcial nessas situações em que um acha que sabe tudo e mostra que não sabe nada? Que acha que tudo pode ser conseguido no "grito"? Não tem como...Se não colabora quando está ausente nem presente, paciência! Com que escala avaliou um trabalho que num diz né com cré? Não há acordo que suporte...E olha que nem só do tipo que cobra presença. Não quer estar presente, saia. Sem ônus. Se é autoditada que bom para você;
  3. Bestando...tudo bem que nada se cria, tudo se transforma, mas a novela Viver a Vida não é muito recorte e cole não? E olha que ata amigas minhas noveleira falaram à respeito. Tipo Renata faz um tipo de Amy Winehouse, As amigas Helena, médicas e loira fatal o quarteto Sexy in the City e por fim e não é quer Lilian Cabral e Niemayer parecem que repitiram a dobrinha do casal do filme Divã. Ah! Tô suspeitando que até Dora e a filha é um clone mãe/filha em Gilmore Girl's...;
  4. Há! Quando vejo aqueles regadores de grama aqui, me dá uma vontade de tomar banho...nesse calorão hem? Hoje pela manhã vi um casal fazendo isso e ri...Massa!

Ás vezes pareço trevaliano, pareço? Acho que não...Por isso que muitas vezes só a estupidez e autoritarismo são entendidos e obedecidos à risca. Que saco! Mas tá bom. Sem reclamações. Ossos do óficio...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...