terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Fim e começo, começo e fim


Lá estavam as duas. Paradas. Uma ao lado da outra, olhando em direção opostas. Uma pensava no que deixava. A outra no que começara e não consiguira terminar. Uma pela o fim do fim e a outra pela morte prematura do começo. E o que restava? Esperar um ônibus que as levassem para longe, pesadas bagagens objetivas e principalmente as emocionais. Além disso, restava uma a outra que sem saber o que dizer, porque não tinha o que dizer, se abraçaram e choraram, consolando-se mutuamente

3 comentários:

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...