sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

O que é pior infidelidade ou deslealdade?


Num sei se já postei sobre isso, mas estou afim de falar disso então...vamos cair dentro...

A muito tempo achava que aceitar a infidelidade era literalmente foda. Por quê? Porque ouvimos desde criança que devemos estar juntos ao outro "na alegria e na tristeza, na saúde e na doença até que a morte nos separe"... mesmo que hipocritamente -afinal "o que olhos não veem o coração não sente".

E acho que isso vale não só para casamento, mas pra namoro no chamado pacto silencioso, no qual os enamorados veladamente tentam e cobram a fidelidade um a outro. Sem contar as amizades, as relações familiares...Quem nunca ouviu falar ao menos de alguém:" você me traiu?". Daí começam as fronteiras limítrofes entre infidelidade e deslealdade.

Com o tempo, não tenho certeza, porque sou um ser humano do tipo passional, seria capaz de perdoar uma infidelidade, mas não uma deslealdade. E que diabos entendo por deslealdade? Não vou recorrer a definições no dicionário. Meu dicionário vai ser meu emocional, meu imaginário, enfim, o meu simbolismo, minha subjetividade.

Ser desleal é não estar ao lado do outro quando esse outro precisa. É ser omisso. É ser narciso e olhar somente para si. Exemplo: é ver alguém que você diz que ama e que, portanto, seria importante e ao invés de estar ao lado da pessoa num momento crucial , simplesmente pega seu carrinho importado e vai, sei lá, para a musculação. Por favor, me poupe! Isso é se importar. Mas como boa passional que sou como irmã, amiga, colega, companheira, sou para torar, ou seja, para pedra, pau, o que vier. Sendo assim quando sinto que não é recíproco a decepção é mortal. E nesses casos a única solução é cortar esse tipo de gente da lista. Afinal como saberia os momentos conveniente pra confiar nessa ou naquela pessoa? Momentos futéis versus cruciais?

Parafraseando o que minha amiga leu numa revista sobre análises do comportamento, traços narcisista são um dos piores, visto que tais pessoas seriam incapazes de procurar ajuda psicoterápica, refletir sobre suas limitações relacionais, incapazes de se colocar no lugar do outro, de reconhecer quando o outro faz algo por você porque gosta, se importa, enfim, são pessoas incapazes de ser gente feito gente porque até bichinho consegue ser mais leal.

Então, o Narciso só consegue ser leal a si mesmo, ao seu próprio reflexo no espelho e que esses desleais não morram afogados no rio, como na lenda de Narciso, afogado no reflexo de sua tão grandiosa beleza e solidão.

Merda que nessa sociedade -onde ninguém tá nem aí pra tudo aí e muito menos pra ninguém - ainda não aprendi ser desleal, egoísta, fazer o que? Tenho esse defeito horrível.


Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...