quarta-feira, 31 de março de 2010

Abobrinhas, identificações, vice-versa, tanto faz (parte V)


Moça diante do espelho, Picasso, 1932

Para não perder o hábito...Lá vão as abobrinhas:

I) Uma colega chegou contando que saiu com o namorado para uma barraquinha de tiro ao alvo. E o namorado ganhou para ela três chocolates Diziolle. Primeiro: Eita tempo bom quando desafiava o namorado a ganhar as balinhas bem fulerinha da barriquinha de tiro ao alvo. Eu escolhia o lugar, o sabor e o tipo de doce que queria. Tempo bom que não volta mais...Afinal, parafraseando o filósofo Haráclito de Éfeso, ninguém passa pelo Rio do Esquecimento duas vezes: nem a pessoas nem as águas são as mesmas...Segundo: Diziolle era a marca do chocolate que meu pai trazia para mim quando chegava do trabalho. Passava o dia na expectativa em escutar o barulho da chave dando a volta na porta e do bolso dele sair daquele o chocolate. de embalagem vermelha. Meu vício por endorfina foi alimentado desde cedo hem?

II) Por que é que existe uma hierarquização de banheiros, tipo funcionários e patrões. Sei lá! Me passa a ideia de que funcionários geralmente são sujos e patrões limpos. Pela minha experiência se for limpinho qulaquer um serve e já fui em muito lugar chique que o banheiro era uma "mercadoria" e também lugares simples que são limpos...Faz parte! O pior é fazer xixi em banheiro de ônibus por causa das curvas - gente, por experiênciaa própria, é um verdadeiro contorcionismo - e na frente dos outros. Eu não consigo! Gente quando vejo as meninas bebendo e indo no matinho enquanto dou xilique por um banheiro, perdão! Morro de vergonha. Perdoem-me.



E como estou devendo as analogias e identificações a um tempo, lá vão também.

Analogias:
Gente se essa moda pega...Que moda? Delivery Man. Meus amigos estão num mutirão para arranjar meu par perfeito. Eu? Eu ainda estou naquela que o par "perfeito" não se caça, simplesmente acontece. Sem contar que os poucos homens que vejo são tão pouco interessantes, descartáveis e óbvios, que já os olho com aquele olhar blasé, "de quem já viu quase tudo..." mas não é que em uma dessas conheci uma figurinha que eu ainda não decifrei?Por que?

Ele foi gentil e tal, me deu um chocolate [pontos para ele], pediu todos os meus contatos quando eu estava numa versão menino [ou seja, sem maquiagem, roupa folgada e óculos], mas aí quando fui fazer a sodagem pelo orkut por orientação fraternal fiquei em dúvida de tanta contradição numa pessoa só. Como é que você participa de uma comidade "Eu gosto de rock e daí?" e outra da Igreja do "Santo dos Últimos Dias"(SUD)? Como assim? Já imaginei ele escutando um white metal ou coisa do gênero. Sei lá! Tudo bem. Pontos para ele que participa de outras comunidades como "Mulher não se pega, mas se conquista" [que também pode ser chavão para "cafa" pegar ingênuas], "Beijo tem que ter clima" e a sessão dos vídeos não havia forró de plástico somente The Cramberies, Lobão... ainda sim é de difícil compreensão não é? Não é para compreender, mas para sentir...Mais uma vez tudo bem, porque aos trezes namorei um anti-cristo, aos vinte e tantos namorei um espírita e dois ateus, mas cristãos praticantes? Para mim é novíssimo...Deixa quieto!

Identificações:
Outra colega disse-me:
- Não sou uma mulher de meias palavras e nem de viver a vida pela metade...
Me identifiquei geral. Parece que sempre fui assim: ou é ou não é. Ponto.

Um comentário:

  1. Ai, gostei muito das Abobrinhas, tal e tal...
    Qual vai ser o Abobrinhas, identificações... (Parte VI)...

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...