sábado, 10 de abril de 2010

Auto-retrato de um demônio-anjo


Bem, decidi fazer um auto-retrato, um 3x4 de mim, que já fiz aqui no blog a algum tempo, mas dessa vez um pouco às avessas. Na verdade começando pelos demônios, os quais neguei "três vezes", sendo bem bíblica, mais que fazem parte de mim, dos defeitos ou quizá das qualidades...depende do prisma.
1. Eu tenho o poder de constranger as pessoas sem intenção ou por provocação. As três últimas que não pararam aqui no blog na sessão constrangimentos parte (IV, V e VI) foram respectivamente:

IV) fiz valer no caixa da farmácia meu direito de consumidor e ameacei levar o caso ao PROCON caso não me cobrassem o mesmo preço que estava na promoção e sem o reajuste porque até meia-noite a promoção era válida. Jesus! Fui educada, mas contudente com plaquinha de oferta na mão e cupom fiscal como prova. Consegui, claro. Os homens do caixa bateram pino, como meu irmão diz "quando essa menina nasceu mainha cortou o pinto dela" [analogia ao poder que supostamente teria, da coisa mulher macho sim senhor];

V) Fui perguntar numa loja de produtos para cabelo sobre um determinado produto e a mulher nem olhou para minha cara. Como não estava a fim de briga comecei a dar meia volta quando a menina que sempre me atende, diferente dessa do relato, me chamou pelo nome e me vendeu até o que eu nem queria. E ainda me mostrou o dito produto do lado da criatura. O fato é que quando já estava de saida do caixa a dita "vendedora" quis manter uma "pelea" verbal comigo. Como assim Bial? Logo com quem? Comigo? Cheguei de mansinho, na malemolência...
"-Pois não!"- eu.
- Você chegou aqui pedindo produto orgânico não foi? - a vendedora mal-humorada.
- Não. Perguntei se você tinha produto "Éh!" Orgânico - afirmei e ela dizendo que não que eu não tinha dito aquilo até que reafirmei de forma mais contundente que não tinha dito aquilo, que tinha certeza e que o importante é que tinha encontrado a vendedora que sempre me atende e é um amor de pessoa. A "minha" vendedora afirmando que estava atrás e que tinha escutando quando eu perguntei e que de fato foi como EU havia pergutando. Dei Tchau a todas, desejei um bom dia de trabalho e marchei para casa porque ninguém merece um pit girl.

VI) A última é que fui para um salão famoso e caro para o Mano Jou cortar as madechas e ao explicar como ele gostaria porque ele era tímido, discretamente falei que da última vez ele tinha saído com "alguns buracos" no cabelo [amenizei porque foi um rombo mesmo que vi e não cometei para meu irmão não morrer de ódio]. Tipo quase ao pé-do-ouvido falei ao empregado, sendo que não vi o dono do salão ouvindo quase ao meu lado. Eu juro que fui educada, mas o dono do salão sentou-se ao fundo e ficou avaliando o empregado. Sendo que eu nem me dei conta pô! Quando eu sai ele me cumprimentou, eu agradeci e elogiei o rapaz do corte, mas meu irmão me bombardeou dizendo que o cara ia perder o emprego que não sei o quê. Que o dono do salão era um "feitor de escravos"...Gente! Me senti horrível. CHEGA! Não dá para ser super-sincera. Ou então, estaria eu me tornando arrogante? Jesus acenda a luz!

2. Eu sou persistente ou burra. Quando quero não desisto nem que perca um pedaço. Cabeça dura? Talvez.
3. A contradição à issso é que quando vou, vou com tudo, mas quando volto. Saiu geral da encanação...
4. Minha paciência é elástica, mas quando "arrebenta" sabe a dor que o estalido do elástico provoca? Essa sou eu. Pisou no meu calo rodo a baiana.
5. Tenho me descoberto um pouco rancoroza. Estou trabalhando isso tá?


O anjo, quase sempre é muito mais fácil...
  1. "Sou romântica à moda antiga daquela que ainda manda flores...";
  2. Carinhosa a ponto de ser melada;
  3. Tento ser divertida com intiligência, com um pitada de humor infantil e leveza;
  4. Não consigo ser levada por canalhas. Eu tenho o "canalhômetro" encrustado em mim, mas meu "loucômetro" é louco também...
  5. Sou amiga de matar e de morrer. Fiel feito um cão de guarda aos que amo. Se preciso morro pela pessoa e pela causa.
Bem, já chega. Cinco defeitos. Cinco qualidades. Pelo menos um empate...Nem melhor, nem pior
Ah! Faltou as frases do dia...
"Quem não faz merda não aduba a vida...";

"De repente ser livre até me assusta
me aceitar sem você
certas vezes me custa.." (Costumes, na voz de Maria Betânia)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...