quarta-feira, 14 de abril de 2010

Já dizia Ultraje a Rigor: "Eu quero sexo!" (parte II)


Faça também a sua listinha do sexo...

Letra de música da banda Ultraje a Rigor, "Eu quero sexo!", uma colega tocou no tema. Disse-me que tínhamos que chegar pelo menos aos cinquenta anos tendo feito sexo com pelo menos duas ou três pessoas por ano. Fazendo uma média até a idade que ainda poderia se dar no "couro", sendo essa uma variável para alguns, claro.

Bem, uma das colegas caiu nessa e fez uma listinha dos que lembrava. Meu amigo, quase não terminava. E o engraçado é que tinha alguns que ela não lembrava mesmo e colocava o nome de "Mingau" para se referir aquelas rapidinhas não tão satisfatórias [e olha que teve do número um ao sete se não me engano...], sem falar no "papo furado", "zonzo", "separado" e o"boquinha de ouro" [prefiro não comentar], entre outros. Teve um que ganhou um smile sorrindo [:)] pela performance.

A média, a partir de uma amostra de cinquenta parceiros, duas décadas antes da primeira metada do seu cinquentenário, "se não me engano e a verdade não me mente", foi cerca de vinte e cinco parceiros. Ou seja, nesse ritmo até os cinquenta terá feito sexo com pelo menos um por ano.

Foi engraçado demais...Fotos acima para registrar o início do processo porque o papel não cabia mais. Sem contar que o HD da pessoa assumia que tinha esquecido alguns.

O fato revelador? Desses apenas com três não tinha usado camisinha: na primeira relação sexual durante a adolescência e com os dois últimos namorados "milenares".

Em síntese: quando se ama, não usar camisinha "parece" um avanço a mais na intimidade, uma prova de fidelidade, o despir-se por completo, até a alma...E um riscão também porque em tempos difíceis, de pessoas descartáveis e sexo facílimo brincaríamos de "roleta russa". E lá vem a única bala no tambor do revolver direto na cabeça travestida de uma doença sexualmente transmissível (DST), como a AIDS. Esse tipo de intimidade, de risco, de fato, não vale a pena.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...