domingo, 4 de julho de 2010

Como assim "descolado" em dez passos?


Pois é! Parece manchete de revista de entretenimento, mas essa foi a minha missão nesse sábado: tornar o Mano Jou de tímido em descolado para encontrar uma gatinha...Como assim Bial? Eu? Também uma tímida? Sim, porque toda a decisão que tenho na minha vida profissional não chega aos pés na minha vida pessoal.Prefiro ser a caça do que a caçadora e sempre fico muito nervosa. Enfim, os anos se passam e aí a gente aprende nesses momentos a interpretar para pelo menos se acalmar. Eu explico melhor na cartilha de dez passos que tentei passar ao Mano:
  1. Ao vê-la dê um abraço forte, assim você vai se acalmando e criando um clima de intimidade;
  2. Qualquer pretexto é pretexto para pegar na mão mesmo que acidentalmente, como que para conduzí-la a um lugar seguro;
  3. Já que a pedida foi cineminha, aproveite o momento para passar a mão pelo ombro e repousar a mão, antes de partir para "O beijo";
  4. Ofereça o casaco se estiver frio;
  5. Abra a porta, afaste a cadeira...Essas coisas que ensino a ele desde que ele é pequeno: "Seja cavalheiro!";
  6. E o que não fazer? Nunca, nunca, seja sovina no primeiro encontro. Mesmo a grana sendo curta, no primeiro encontro vale a pena investir num programa que o cavalheiro possa pagar, nos próximos negocia-se os rachas. Até as feministas mais convictas gostam que pelo menos na primeira vez haja um certo clima de conquista. Tirando um pouco por mim;
  7. Não fale de ex! É a morte;
  8. Vale a pena chamar para tomar um sorvete, comer algo, passear, sentar no banquinho, tirar fotos para descontrair...
  9. Seja você! Principalmente se você for uma pessoa engraçada. Mulher, no geral, gosta de homens que as fazem rir. Calma: uma coisa é ser engraçado outra é ser LESÃO. Sempre com moderação, ok!
  10. Se mesmo assim, você continua nervoso e não saiu muita coisa nesse primeiro encontro, parta para o PLANO B, C ou D. O plano B: faça de conta que você é um personagem. De preferência aquele que você admira. O plano C: deixe alguém que você confia "engatilhado" para dar um apoio no local, pelo menos presencial e você conseguir respirar. No caso eu, a irmã fui o apoio - aí Jesus! Que saí de casa ameaçada de dormir na praça pela mãe se não fizesse o negócio agilizar. Ou seja, o negócio dela não é descrição...ai, ai...Por fim, o plano D, o menos indicado pelas questões morais e imposto por minha mãe que ameaçava-me , ofereça uma bebida com baixo teor alcoólico, de modo a criar um efeito placebo de que você está diferente, descolado, confiante...Que tal um licorzinho?
Bem, todos os planos foram postos em ação. E daí dê tempo ao tempo...

Comments
Anônimo: Desenho também é cultura, rss.

Um comentário:

  1. Ri demaaaaais do texto! kkkkkkkkkkkkk
    Eu já imagino Fátima falando as coisas... Vcs são uma comédia!!
    Boa sorte aí na empreitada :)

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...