sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Das inverdades absolutas do amor

É inevitável falar de amor sem nos remetemos as nossas próprias histórias. Ontem, depois de fazer um SOS a um amiga foi inevitável não perder o sono por causa disso. Ou melhor, foi inevitável não pensar sobre as dores de amor. Então, pensei nas dez verdades absolutas sobre dor de amor:

  1. A única certeza que podemos ter é que não há verdades absolutas, muito menos sobre dor de amor, o que existe é um mar de incertezas e possibilidades. Sendo clichê: "tudo é relativo";
  2. Nem toda a dor de amor do mundo já sofrida nos imunizará das dores futuras;
  3. Em um minuto podemos estar no céu com seu amor e noutro irmos direto para o inferno sem escala;
  4. A dor após o termino pode ser tão grande que a única coisa que talvez consigamos implorar é "morfina direto na veia", ou seja, anestésico pela insuportabilidade da dor;
  5. Todo relacionamento trata-se de um investimento de dois tipos: de risco e de alto risco. O de risco você investe diretamente na bolsa de valores, mas deixa uma pequena reserva para recomeçar, caso algo dê errado e ela "quebre". Já o de alto risco você investe tudo, então, pode ganhar ou perder tudo num minuto. Traduzindo: é preciso ter um reserva emocional quando nos relacionamos com alguém, o que significa que precisamos gostar muito mais de nós mesmos do que de qualquer outra pessoa, portanto, as fontes de amor e de prazer são múltiplas e não uma única pessoa;
  6. Depois de pedir morfina na veia, assumido um investimento de risco ou de alto risco, "O destino" pode lhe pregar uma peça e "perguntar": - E aí? Você tem duas alternativas: ou nunca mais amará ninguém, ou aceita a inexorabilidade de amar mais uma vez e sofrer tudo novamente. Você pode optar por não mais passar por isso...quem sabe!?;
  7. Diante da dor, você pode optar por se culpabilizar e não enxergar que por mais amado que o sujeito de amor seja ele também é imperfeito e um relacionamento a dois quando não dá certo é porque a sintonia a DOIS não deu certo cara pálida;
  8. Escolha qual o pior final: "eu não gosto mais de você, "eu gosto de outra",
  9. A sensação de dor ante a perda pode ser tão grande que você pode chegar a sentir o coração doer, mesmo ele não tendo terminações nervosas. Podemos perder a vontade de comer, de dormir e desejar que um buraco nos engula. Nesse momento pode ser que chegue a conclusão que a morte é mais fácil;
  10. E para superar a dor do amor é preciso que nunca esquecemos da regra principal: Goste de quem goste de você.

2 comentários:

  1. Inevitável comentar...

    Como bem disse Camões "Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente;É dor que desatina sem doer;(...)"

    O amor por si só, enquanto começa, enquanto dura ou enquanto acaba, dói. Em níveis diferentes, mas sempre dói. É o inferno no céu, eu diria. E não há nada, nem todas as experiências do mundo, que nos prepare para a dor que ele traz. E, sim, é sempre melhor ver o amor ir embora porque o amor por você acabou, do que ver que ele foi embora porque começou o amor por outra pessoa. A gente admite perder por incopetência própria, mas nunca porque alguém foi mais competente que a gente. Difícil ser "homo sapiens" ;-)

    Os "fins" sempre trazem uma dor insuportável no começo. Você acha que não vai aguentar, mas aí, você começa a prestar atenção em um outro amor que, na maioria das vezes, erroneamente, fica em segundo plano: o amor próprio.

    O que a gente tem que aprender a fazer para sempre doer menos é: SE AMAR. SE BASTAR. Porque quando a gente se ama, a gente se sente inteira. Os amores vem e vão sem que a gente sinta que está faltando um pedaço, porque o essencial está ali: você.

    E que aquele momento de letargia, que assume depois da dor aguda, passe logo.

    Que ela coma mauito e beba muito, porque NINGUÉM, NINGÚEM nesse mundo merece um auto-flagelo. Aff... Chora todas as pitangas de uma vez, se produz, e cai na night. Melhor remédio não há!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei rs o post de hoje.
    Você merece edição pra livro.
    Beijo&Abraço!!!!!

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...