sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Pedacinho de papel a um amor perdido


Oi,
Desculpa. Hoje não tive como evitar e, e, e.... acabei escrevendo esae bilhetinho para você. Ultimamente, mais do que nunca sinto muito sua falta. Sinto seu cheiro no meio da rua e quando menos espero...Procuro sua boca no meio de tantas outras...Seus olhos então! Esses parecem que estão aqui. Agora. Nesse exato momento me fitando profundamente...Tchibum! Me perco e me encontro nas profundezas esverdeadas do teu mar... Mas parece que finalmente consigo compreender o real significado da reabilitação.

P.S.: Não é que não sinta falta. Não é que não lembre. Não é que não deseje...simplesmente com o tempo dói menos, sinto menos raiva e sedo menos ao ímpeto de me entregar ao que não tem sentido para nós.

Commets.:
Patrícia: estou acompanhando seus comentários no blogtá?;) Desculpa a demora em respostá-los mas ando um tanto relapsa com o blog...me sinto lisongeada por "ler-me";

Ithalo: como sempre valeu a força, bejim

Um comentário:

  1. Oi,Não sou um Principe encantado,um Bob Marley,ou mesmo um sapo que queira se candidatar a pretendente! sou apenas um Louco Sensato que viaja na Rede em busca de Mentes pensantes para uma amizade construtiva, um desabafo literal,ou encontros virtuais que possam criar elos de afeto,no sentido puro da palavra!Disponibilizo o meu email caso vc possa me adicionar! Um Grande abraço!! Claudio,casado,Tecnico Judiciário e escritor amador

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...