terça-feira, 12 de outubro de 2010

Toc. Toc. Toc (série toc. toc. Parte V)


Toc. Toc. Toc. O som do salto no assoalho abruptamente foi entrecortado pelo derramar-se na cadeira acompanhado de um ollhar triste, vagueando ao horizonte...vomitou algumas palavras...

- Na verdade tive um insight. Era apenas uma cópia borrada e mal-feita de quem amei. O de lá. Lá do começo. Substitui meu objeto de amor por outro, secundário, por isso me contentei temporariamente, mas agora todo o castelo de auto-afirmação se desfez e volto a vaguiar com minha tristeza, a qual não a quero. E penso...E sabe no que? Nele. No primeiro. Busquei durante esses meses as semelhanças no gosto pela música, nos gestos, na forma em descuidar-se... Na necessidade que tinha de mim. De que o protegesse...Tentei !Juro que tentei reanimar meu coração, picotando sua alma e enchendo os buracos que cavei...Até quando continuarei perdida nessa fantasia?

Uma pergunta sem resposta. E naquele momento o silêncio estabeleceu-se no setting terapêutico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...