terça-feira, 16 de novembro de 2010

Nada a declarar. Como assim nada a declarar?


"Poderia estar matando. Poderia estar roubando..." Mas não! Plagiando os humoristas...

a) "Eu não tenho nada prá dizer
Também não tenho mais o que fazer
Só prá garantir esse refrão
Eu vô enfiar um palavrão:Cu"

...porque nesse momento quero ser politicamente incorreta e me dar o direito de escrever "sem censura". Aspas porque sempre aparece algum(a) engraçadinho (a) que simplesmente esculhaba pelo simples prazer de fazê-lo. Fazer o que se em nossa sociedade é a coisa pela coisa, a crítica vazia pela crítica vazia? E haja buraco negro! Ei, já descobriram o "X" de fechar a janela quase não agrade o que se lê?

b) Essa música do Ultraje a Rigor me veio a mente não só pela lavagem cerebral das propagandas televisivas, mas para reafirmar um sentimento de algo que disse a um amigo ontem: "-Estou quase cometendo o thaisicídio"- e ele perguntou-me o que danado era isso - "Apenas a vontade de explodir, mas não com alguém, apenas de desaparecer";

c) Essa semana poderia sim ser de ócio, como não tenho a muito tempo, mas estou estudando...tem noção que fiz uma breve estatística ontem e dos quase doze meses desse ano, noventa porcento estive trabalhando ou em prol do trabalho? Que saco! A vida anda um tanto "marrom" [marrom menos], mas pera aí né? Trabalho sempre foi para mim prazer, deleite, fuga da minha própria vida...Mas quando me pressionam para que dê mais do que tenho dado me sinto injustiçada. "Tá bom! Vai ficar só o coió?"Será "sangue, suor e barricada?"

d) Não uso mais as roupas que me cabiam, como canta Nando Reis. Nem as bijux artesanais que adorava. Não durmo mais como dormia. Não vagabundeio como vagabundeava [Sim! Mas já vagabundiei algum dia da minha vida?]. Não acredito mais nas pessoas como acreditei um dia . Não tenho esperanças como um dia as tinha. Nem estudar mais [que era o que deveria estar fazendo agora] não faço mais como fazia...

e) Então, como nesse momento meu sentimento é de pura insatisfação pelo tempo "talvez perdido" com tanto trabalho e de cansaço de nadar contra a maré e de não poder tatuar um "FODA-SE" nessas situações, só para garantir esse refrão vô enfiar um palavrão que não é o "UEBA!" do programa junto e misturado...

Comments:

Anônimo: valeu a crítica construtiva pela última postagem e vindo, me parece, de um homem, meus devaneios foram entendidos.Valeu moço! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...