quinta-feira, 7 de julho de 2011

Quinta-feira social: o mico das capacitações


Gente é cada absurdo que acontece em capacitações que não sei não. Houvi uma vez de um doutor em "tralalala" que capacitação é coisa pobre para gente pobre. Sem avaliar a insensibilidade social dessa afirmação, o que está por trás dessa frase é que geralmente as capacitações são planejadas no" há tem que acontecer: façamos de todo jeito. Mas acho que do mesmo jeito que tem dicas para entrevista de trabalho deveria haver dicas para os palestrantes de como organizar e realizar uma capacitação. Por isso evitem o mico. Falo dos dois lados da moeda. De quem já fez, participou e elaborou capacitações. O que sempre estar atento:

  1. É preciso planejar. Qual o perfil do público alvo: mais dinâmico? Mais acadêmico? É jovem? Mulheres?
  2. Se prender a atenção de estranhos por uma hora é difícil, imaginem por mais de duas. Mesmo com coffee-break é preciso pensar em estratégias de dinamização do encontro;
  3. Pelo amor de Deus parem! De usar slides shows, movie make (filmezinhos) e principalmente Dinâmica. Que raio é esse que todo mundo só pensa em fazer dinâmica hem? Uma dinâmica mal realizada é um tiro no pé. É instrumento certo para hora certa e público também;
  4. Gente vocês sabiam que existem outros recursos de apresentação e dinamização como leitrura de poesia, poemas, crônicas, letras de música e programas de apresentação como o PREZI. Pesquise no google sobre esse programa. Bem melhor do que o slide show e diferencia não é? Olhe até uma ginásticazinha cai bem;
  5. Até aquele "jogar de conversa fora" no momento do encontro vale. Ou seja, pergunte sobre a rotina. Pontue suas colocações de palestrante tentando interagir com a realidade e os exemplos trazidos pelos participantes. Os traga para conversa. Não se contente com o silêncio absoluto, muito menos com aqueles que falam por todo mundo. Empatia é um vínculo que deve ser construído no encontro, mais do que derramar litros e litros de palavras porque o que for absorvido ficará;
  6. Finalmente: pense numa palestra de capacitação como uma dança. É preciso domínio de conteúdo, diplomacia, habilidade para promover discussão, boa dicção e principalmente capacidade de bailar no espaço. ou seja, NUNCA! JAMAIS! JAMAIS! Fique como um dois de paus parado horas a fio. Movimente-se. Ocupe os espaços. Dirija-se a platéia. Já ouviram falar em presença de palco? É isso mesmo;
  7. Há! Ia esquecendo. Por mais que não quera abordar temas polêmico é preciso pontuá-los, mesmo que sinteticamente. Tendo em vista que geralmente o participante de uma capacitação geralmente está pensando: "Sei! É fácil falar! Vem para o meu lugar, nas condições que eu tenho e faça melhor!". É preciso dialogar com a experiência de quem participa e acolher as angustias, inquietações e indagações com naturalidade. Nem sempre um assunto polêmico precisa ser levado as raias da loucura ou precisar sair do local com todos convencidos. Entretanto, saiba conduzir porque senão é possível que pague mais um MICO, além da cara de tédio de alguns, o silêncio prostrático de outros e um belo: Aff! Não aprendi nada! Que pessoa chata!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...