sábado, 23 de julho de 2011

Talento, loucura ou fragilidade?


Para quem gostava da voz marcante da cantora que misturava ironias da vida com soul e jazz, é impossível não falar sobre a morte da cantora Amy Winehouse. Uma surpresa para alguns externada de modos distintos por meio de cenários impossíveis de ser completados, mesmo pós-morte da “ótima cantora, interprete e letrista desse século”.

Além do talento materializado nas músicas, o que Amy deixará como legado? Os chavões, o lugar marcado e estereotipado, de que os “bons morrem jovens”? Ou ainda, de que “os meus heróis morreram de overdose? Comparada a figuras lendárias do rock in roll, como Jimi Hendrix, James Joplin e Jim Morrison, seria mais uma que não suportou a pressão da fama? “Os clichês podem ser vulgares, mas às vezes explicam muito”...

Não sei ao certo se para “vender a moda do politicamente correto porque é “feio” não sê-lo”, nessas últimas notícias Amy também foi definida como frágil. As drogas de fato fragilizaram, fragmentaram, descolaram, o quem era do quem poderia ser. Entretanto, a dependência química reduzida a uma doença, a foice da morte dessa cantora, não contempla a complexidade e a singularidade de sua existência. Até mesmo porque enquanto guardarmos nossa loucura nos porões obscuros do interdito, mesmo quando essa mesma loucura faz parte da condição de qualquer ser humano, inclusive o que se esconde na rotina de sua “normalidade”, estaremos fadados ao simulacro e a o vazio de qualquer forma de expressão de liberdade, seja do sofrimento ou da felicidade.

2 comentários:

  1. Ficou um bafo mana. Muito bem argumentado. Queria eu ter esse dom de escrita que tu tens. =D
    #bafonico

    ResponderExcluir
  2. Tentaram me mandar pra reabilitação
    Eu disse "não, não, não"
    É, eu estive meio caída, mas quando eu voltar
    Vocês vão saber, saber, saber
    Eu não tenho tempo
    E mesmo meu pai pensando que eu estou bem;
    Ele tentou me mandar pra reabilitação
    Mas eu não vou, vou, vou...

    Eu não quero beber nunca mais
    Eu só oh, só preciso de um amigo
    Não vou desperdiçar dez semanas
    Pra todo mundo pensar que estou me recuperando

    QUE A PAZ TÃO DESEJA SEJA ENCONTRADA AGORA ANY...

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...