sábado, 8 de outubro de 2011

Jad happy sensation celebration


Por Batismo Josete. É assim mesmo que se escreve? Nem sei porque para alguns ela é Jó, personagem que em hebraico, significa aquele que é voltado para divindade, a humanidade que ao ser abatido pelo mal, com afinco ergueu-se para recomeçar e daí receber em dobro tudo que antes possuía.

Para mim soa estranho chamá-la assim porque  ela sempre será Jad, com "d" mudo, que do francês define uma pedra verde-escura ornamental muito dura e compacta. A dureza do jade é notável, com resistência maior do que a do aço, transformando-se, portanto, em uma pedra simbólica poderosa, além de valiosa  por sua beleza. 

Palavras insuficientes para defini-la: Firmeza, poder e beleza.  Continuo a defini-la como "aquela que cai da cama linda e ainda consegue com o toque de Midas transformar tudo em perfeição".
Advertência: não deem uma garrafa de vinho nem tequila porque ela é capaz de "subir na mesa e tirar a roupa", como ela mesmo me disse. E se tiver U2 então...
Em nosso flash back:  nos conhecemos e reconhecemos a quase dez anos. Ás vezes os contatos são intermitentes devido aos vai-e-vens da vida, mas tornar a conversar com ela é sempre como se fosse ontem. Sem barreira, com sinceridade, franqueza e carinho. Acolhedora, respeita a todos. 
Caracterizando-a calendoscopicamente: Discreta, linda, inteligente e elegante, ela até faz questão de dizer que é fresca para deixar claro aos demais que não se importa com o que dizem dela. Sinceramente? Não a acho. Todos que assim o são fazem questão de demonstrar, se fechar em tribus, traçar preconceitos. Ela não.  Somos amigas e ela aceita, rir e até reforça meu jeitinho tosco e esquistoide de ser. Mesmo quando na minha leseira a presenteei com uma luminária que nada tinha haver com ela [bola na trave]. Eita! que esse ano vou arriscar novamente e sem dicas hem!? Jesus!

Observação: Amadureci como mulher, a valorizar-me vendo-a, trocando ideia. E claro, aprendi sempre a dar o ouvido/mão, para escutar não aquilo que queremos ouvir, mas aquilo que realmente precisamos ouvir. Que tenhamos ainda muito o que contar...Parabéns! E seja cada vez mais firme, bela e poderosa. Inspiração! E que eu tenha mais histórias para lembrar no fondue, na festa mexicana, na caranguejada, noas aniversários, na pedra de Santo Antônio etc, etc.

Um comentário:

  1. Demorei, mas apareci. É que a volta a CG me trouxe as doenças de yago: crise de garganta, gripe, febre e SEM poder tomar remédio ;-) Uma maravilha ;-)

    1. Sim, é assim que se escreve.

    2. Sim, sinto-me assim: recebendo em dobro tudo que antes possuía. Não posso reclamar da vida pq ela, até agora, tem sido bem generosa comigo.

    3. Gente quantos elogios de uma só vez. Posso "me sentir" agora!??! ;-) Mulher... Tudo o que posso dizer é 'obrigada por me ver assim' ;-)

    Obrigada pelo post, pelas palavras de carinho e, algumas vezes, incentivo ;-) Que eu seja realmente assim como você me vê ;-)

    Beijo grande e muito, muito obrigada.

    PS: por causa do meu "arriamento" a muvuca lá em casa não rolou. Teve uma feijoada na casa de Leco, que eu fui arrastada, só pelo social e, mesmo assim, só comi caju kkkkk

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...