segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Redes sociais: tema de papel higiênico

Não há um consenso sobre a origem dessa invenção tão útil quanto o papel higiênico. De um lado há os que dizem que data do século XIX na China, em 875. Do outro, teria  sido concebido  em 1857 por Joseph Gayetty de Nova Iorque. Utilizado como objeto de higiene pessoal, há relatos que antes de sua invenção costumava-se fazer a  limpeza com folhas de hortelã, água e por vezes sabugos de milho, remédio etc.

Indo para além do "onde vim e para onde vou..." as redes sociais também entraram na onda e são tema de papel higiênico. Pois é, se não bastasse os perfumados, decorados, agora você pode escolher se quer no estilo das redes sociais mais comum ao seu di-a-dia. Por quê isso? Porque diante dessa avalanche de informações que a internet disponibilizou, junto vieram as redes sociais que teria como proposta facilitar o contato e encurtar distâncias, mas para onde vai? Para o ralo. E olha que não estou fazendo uma apologia a conteúdos de alta profundidade, nem de se usar um microblog para ficar o tempo todo digitanto: "Prestem atenção! Olhem para mim! Estou aqui! Quero ser famoso. Sou carente ou então quero uma vaga no BBB...". Muito menos para dizer que o problemas são os adolescentes que fazem mal uso da ferramenta. Tem muita gente grandinha que Deus me livre!

Minha crítica se vale das pessoas que entram nesses ciberespaços para além de xeretar, perturbar a vida alheia com piadinhas e até denegrindo moralmente a quem nem sabe que esse outro deliquente existe. PRIMEIRO: Não gostou do que leu? Ou do que viu? Mude o "canal"!. SEGUNDO: se quer expressar sua opinião, o faça, mas sem passar por cima de ninguém porque o espaço é público, mas as pessoas não são privadas para carregar degetos alheios. TERCEIRO: cabeça vazia terreno do "diabo"? Não! É terreno da burrice mesmo, do oco. Pinte, dance, cante, escreva, leia, ame, se ame, seja amado...QUARTO: Não gosta do mundo? Encontre outras formas de descarregar. Faça exercício! Correr é de graça e não custa nada. Está sem coragem de sair de casa? Vá lavar uma boa pilha de roupa que quando o corpo cansa, a cabeça...

Até passei um semestre sem nenhum tipo de ferramenta virtual para evitar esses aborrecimentos, mas como não posso viver na "sombra" e quem tem "Boca vai a Roma", voltei moderadamente porque é impossível ficar na contra-mão da virtualidade. Mesmo sendo do tempo que lavar a roupa suja se fazia em casa e não nesse tipo espaço. Do tempo que os recadinhos de amor, paquera, então nas salas de bate-papo, era sútil. Um trecho de uma música, o status de um certa música...Mas parece que é cada vez mais impossível entender que net é ferramenta de informação, entretenimento, cultura, educação, blá-blá e não um modo de vida quando não se tem vida e a cabeça é oca. Pelo menos prefiro gastar o tempo no cara-a-cara, no olho-no-olho e sendo feliz porque pelos menos descanso a alma. Bem, fui!Vou tomar alguma bebida acompanhada, com risos das "pérolas" que encontro por aí. E o melhor sempre em boa companhia ;)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...