domingo, 13 de novembro de 2011

Vazios

Cada um guarda dentro de si um vazio. Que assume tantas formas e proporções que não dá para denominá-lo no singular, por isso vazios. Ás vezes não se sabe bem o que fazer com ele(s). Alguns enchem de comida; outros de trabalho; outros de muita festa... Ele existe e está conosco todos os dias. E o que fazer com isso? Se exite, então, há algum lado bom disso? Digo que sim.

Ele te diz: "Pare! Me escute! Deixe de me ignorar! Estou aqui! E aí? O que você vai fazer com isso?" .
O vazio te exige o silêncio de reflexão e a tentativa de harmonia consigo de modo que possa se ouvir: "Por que nesse momento esse vazio me incomoda? Por que quero que as pessoas ouçam os meus berros, os meus desaforos ou sei lá o que?"

O lado bom é que sem o vazio não haveria espaço dentro da gente para que pudesse ser preenchido  temporariamente com as pequenas ou grandes felicidades. Afinal já está tudo completo mesmo. Mas não se iluda não! Essa sensação de completude sempre será temporária porque somos seres de busca, portanto, de vazio. Afinal o que buscar se estamos sempre cheios? Inclusive, o famoso olhar bláse "de quem já viu quase tudo..." me põe na dúvida de se, trata-se de um olhar cheio de ver a mesmice ou se, esse vazio é tão presente que toma conta da pessoa que torna-se cheia: DE VAZIO. Um buraco negro que não emite luz e suga o que encontrar e o que sentir pela frente na busca de preencher o eterno vazio. Quase que como um trator passando por cima de tudo e mesmo assim, continuam vazias. Existem muitas pessoas assim, buracos negros...Não deixe que te suguem! Sempre é mais fácil dizer que a culpa é de nosso vazio, do outro, inclusive do sistema econômico-social. Ma e o que você faz para mudar isso para si? E para os outros? É mais fácil ser vítima do que dono de sua vida.

Tudo depende de você. Depende das escolhas que faz, dos amigos que tem, dos ombros que tem acolhem nesses dias que tudo é mais difícil...O importante é lembrar que isso faz parte de nós e que não tem problema, afinal nós somos mais forte do que essa outra parte porque a proporção dada é feita por nós. Que o vazio seja como na física quântia, pelo menos relativo e não absoluto.

Um comentário:

  1. PERFEITO!
    De onde veio tanta inspiração hein ?
    Se eu escrevesse isso em algum momento eu me sentiria uma Caio Fernando de Abreu, uma Martha Medeiros, uma Simone de Bouvair ... enfim. Amei o texto sobre vazios.

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...