domingo, 22 de janeiro de 2012

O amor e outras coisas mundanas (parte I)

"(...)Ás vezes ficamos mais presas a um amor quando ele termina do que quando nos matemos na relação...(...) É melhor uma rendição do que fugir de um amor que não vivido até o fim (...) não antecipe  o término do que ainda não acabou, espere a relação chegar até a rapa, e aí sim" (MEDEIROS, Martha. As esquisitices do amor in: Feliz por Nada . 6 ed. Porto Alegre, RS: L& PM, 2011: 34-35)

" (...)Independência nada mais é do que ter poder de escolha. Conceder-se a liberdade de ir e vir, atendendo suas necessidades e vontades próprias, mas sem dispensar a magia de se viver um grande amor. Independência não é sinônimo de solidão. É sinônimo de honestidade: estou onde quero, com quero , porque quero. (...)
(MEDEIROS, Martha. A mulher independente in: Feliz por Nada . 6 ed. Porto Alegre, RS: L& PM, 2011: 29-30)

"(...) Eu desconfio muito de quem não valoriza seu ócio predileto e acaba virando gângster de si mesmo. Até podem ganhar prêmios com sua dedicação inumana, mas perdem todo o sabor da vida.  São profissionais competentes, por um lado, mais incompetentes por não reconhecerem a importunância de alcançar uma certa vadiagem responsável, que é como eu chamo o "trabalhar sem se matar" (..) 
(MEDEIROS, Martha. Competência pra vida in: Feliz por Nada . 6 ed. Porto Alegre, RS: L& PM, 2011: 39-41)

Um comentário:

  1. Adoro a Martha Medeiros.
    Descreve muito bem nossos pensamentos e sentimentos!
    Boa semana pra ti!
    Bjs

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...