domingo, 26 de fevereiro de 2012

Quando palavras machucam (PARTE I)



Liberdade de expressão jamais deve ser confundida com incitação ao ódio. Cansada então de ser vítima de ciberbulling decidi pesquisar e obter informações sobre o que venha a ser e o que fazer para que daqui para frente ninguém faça uso do anonimato e saia impunemente.
Ao contrário do que parece, vítimas como eu nem sempre fizeram ou falaram algo que provocasse a ira do agressor. Nossa própria existência, nosso jeito de ser ou o que falamos é que desagrada. E que, na concepção do agressor, devem ser severamente punidas. Para nós a sentença: “Os declaro culpados”.
O termo ciberbulling é uma fusão da palavra ciber, a própria comunicação entre redes de computadores, com bulling - comportamento agressivo ou intimidador com o intuito de humilhar alguém, típico nas escolas, mas não menos aceitáveis e cruéis, por isso, aproxima-se da tradução de “valentão”. O bullying acontece em escolas, universidades, ambiente de trabalho e na vizinhança. Entretanto, a intimidação ganhou um novo espaço a internet, tornando-se uma prática de um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar com o uso tecnologias de informação. Apóia comportamentos deliberados e repetidos de hostilidade.  
O "cyberbullying" pode ser tão simples como continuar a enviar  e-mail para alguém que já disse que não quere mais contato com o remetente, ou então pode incluir também ameaças, comentários sexuais, rótulos pejorativos, ou ainda tornando as vítimas alvo de ridicularização em fóruns de discussão ou postar declarações falsas com o objetivo de humilha, ameaçar, postar rumor, boato ou instigar os outros para cima da vítima. Seu objetivo é  perseguir ou fazer ameaças on-line para os outros. Esse assédio moral pode ocorrer por meio de e-mail, mensagens de texto e mensagens para blog e sites de rede social. Embora guarde semelhanças com o assédio sexual por causa de possíveis comentários de ordem sexual, não se trata da mesma coisa.
E mais, por ser uma atividade onde um computador ou uma rede de computadores é utilizada como ferramenta, base de ataque ou meio de crime pode ser caracterizado como crime informáticoe-crimecybercrimecrimes eletrônicos ou crime digital. Que significa: "qualquer conduta ilegal, não ética, ou não autorizada que envolva o processamento automático de dados e/ou transmissão de dados”. O crime por computador pode acarretar danos tanto pessoais como empresariais. Os danos pessoais são obtidos no envio de conteúdo pejorativo, falso ou pessoal em nome da pessoa, utilizando somente os dados dos e-mails. É importante destacar que constituem crimes nos arts. 138, 139 e 140 do Código Penal Brasileiro, que imputam falso delito, fato ofensivo à reputação ou a dignidade de outrem, bem como.
“O anonimato na Internet não é absoluto. Todos os computadores conectados à rede mundial possuem um número que pode ser rastreado, o seu IP. Mesmo se o acesso for feito através de uma lan house. Quem sofreu agressão através da Internet pode preservar o maior número de provas possíveis, tirando, por exemplo, screenshots das telas com emails, mensagens ou fotografias ofensivas. Essa etapa é muito importante, pois o dinamismo da Internet permite que o conteúdo possa ser tirado do ar ou ser mudado de endereço a qualquer momento.” Além de, “quem se sentir ofendido com alguma coisa publicada na Internet pode fazer uma notificação ao prestador de serviço de conteúdo, para que o conteúdo ofensivo possa ser tirado do ar, porém, preservando as provas dos insultos”.
E como denunciar de forma anônima ou identificada? Disque-Ouvidoria (0800-6449500 ou 127), ou ainda o Ministério Público do Distrito federal e de Outros Territórios disponibiliza um formulário eletrônico para prestar queixa, esclarecimentos e informações; orientando o cidadão nos seus direitos; garantindo o retorno dos serviços solicitados à Ouvidoria e também o retorno sobre as providências adotadas e os resultados obtidos.
Não deixem que esses criminosos se sintam impunes pelo anonimato. Não compactue com o silêncio. Há décadas atrás uma nação foi presa, tortura, humilhada, deliberadamente agredida em nome de uma verdade, da livre expressão de racionalidade de outro grupo que se sentia superior. E o nome disso foi o hediondo holocausto dos judeus.
Esse crime já inspirou um filme recente Cyberbully produzido pela ABC Family:


Um comentário:

  1. Excelente post, só gostaria de fazer uma observação, como no brasil não existem termos como bullyng e pedofilia para citar exemplos deve-se dirigir a denuncia crime ao juiz através de um advogado com os termos corretos dependendo da situação assédio moral, discriminação racial ou injúria que na linguagem jurídica brasileira se enquadra ao termo americano (bullyng)lembrando que um bom advogado já deve saber disso...

    ResponderExcluir

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...