sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pequenos prazeres com o fim do mundo

Entre uma piscadela e outra, já na primeira chamada do seriado sobre o fim do mundo da Globo, lampejos me vinham a cabeça sobre "o que é que eu faria se só me restasse esse dia, se o mundo fosse acabar..." (Paulinho Moska). Claro que de imediato pensei no famoso chutar o balde ou o pau-da-barraca. De temperamento passional, quando me enfezo com algo e não consigo solta um belo "vá tomar no c@#%" fica aquele troço engasgado. Aquela vontade reprimida. Essa ditadura do politicamente correto às vezes enche o saco! Mas é claro que esse foi o primeiro lampejo: me desfazer imediatamente de todas as mordaças do pensamento em nome da boa convivência. Na verdade eu queria mesmo é gastar meu tempo "sentindo os pequenos prazeres da vida..." e faltando apenas algumas horas...
  1. tomar banho de mar às seis da manhã e sentir a água geladinha do mar se misturando com aquele quentinho gostoso do sol;
  2. depois passear na praia e antes das dez, quando o sol estivesse suficientemente quente mas nem tanto,  tomar algo bem geladinho, matando a sede;
  3. queria tomar outro banho de mar ao fim-da-tarde porque a sensação é completamente diferente. A água está morninha e o vento é geladinho. Completamente diferente de tomar sol/banho pela manhã;
  4. Ah! tomar um vinho à noite na praia e depois nadar pelada. Freedom! Aquecer e depois refrescar;
  5. Mas calma! Nessa altura da minha lista não vou passar o dia todo no mar né? Nos intervalos desse dia iria passear de moto para sentir o vento batendo no rosto até chegar no Jardim Botânico ou quem sabe no Parque do Ibirapuera para ver o fim-de-tarde e as flores. Sairia correndo dali pra me jogar do despenhadeiro mais próximo. O do Corcovado? Rapel ora! Adrenalina: Adoro! E estaria escutando "Learning to fly" do Pink Floid porque música sempre torna o cenário mais completo. Ah! por falar em música que completa a "Beuatiful day" do U2 lá no número um iria ser perfeita também;
  6. Iria me esticar numa cama e com um edredom bem fofos  -ar condicionado ligado porque se  o  mundo acabar acho que vai ser no verão- para assistir um filme de Wood Allen, como o "Tudo pode dar certo";
  7. Ah! se desse comeria um belo almoço na cama- porque adoro comer na cama- seguida de uma maravilhosa sobremesa de chocolate- ainda não sei qual- e sesta com "um abraço de urso";
Bem com certeza existem uma série de outros pequenos prazeres, no entanto, vou terminar em sete porque é um número que de fato me inspira transformação. Sem contar que foram exatamente esses itens listados que me vieram a cabeça de supetão, assim como também vou precisar de um pouquinho de sorte para o fim-do-mundo não vir acompanhado de um tsuname porque senão minha listinha vai literalmente de água abaixo. Brincadeirinha! Mas uma ironiazinha não podia faltar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...