quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Repaginando-se: Ana O. nas crônicas rodriguianas pós-modernas

Vontade de cortar o cabelo. Vontade de mudar a cor do cabelo. Vontade de fazer academia. Vontade de voltar ao Ioga. Vontade de tomar banho de piscina à noite. Vontade de ter um ano diferente. Um ano de realizações, de mudanças...Mas algo de estranho estava acontecendo na vida de nossa caríssima Ana O...

As semanas já começavam mais pesadas. "O que seria isso? - pensava - restos do ano que passou?E que haja então banho de sal grosso... Ela se negava a acreditar que mal o ano começara e os mesmos dramas se reproduziam. Estaria ela presa no tempo de um relógio que voltava sempre ao mesmo instante em que parou e repetindo, repetindo..."SO-COR-RO!"- pensava mentalmente. Nada de passado que já passou. Nada de porta fechadas entre-abertas. Nada de ex-amigos voltando como colegas. Nada de sofrimento por antecipação. Nada de excesso de controle. Nada de ruminar problemas que devem ficar onde acontecessem. Nada de arrastar correntes e estragar o dia. Estar de bem... E isso inclui não ficar pulando de galho em galho financeiro, de binco em binco empregatício, de caroneira...Carona é divertida e talvez traumática na juventude porque parece aventura de Indiana Jones quando seu ex-grande amor e sua ex-grande amiga lhe traem pelas costas. Nada mais de pelejas. Nada mais de paredes pra derrumar. Pensava apenas em: - Posso, por gentileza,  apenas dar à volta nela?

Essa era a Ana O. deste ano, apenas mais leve e solta. Afinal... "O que acontece em Hong Kong fica em Hong Kong, como bem dizia o personagem do filme que adorava em "Se beber, não Case"...Se o mundo permitir, é óbvio!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...