domingo, 1 de maio de 2016

Um domingo para uma segunda mais encorajadora

Esta é uma releitura de um post mais antigo depois de um 1º de maio, dia do trabalhador, sem feriado. Ou seja, soturno e sóbrio, numa conjuntura político-econômico nada encorajadora, na qual o trabalho escravo com todas as suas excrecências pode vir a se tornar o trabalho de fato e de direito. Mas toda segunda necessita de um domingo mais encorajador, afinal, a esperança tem um "Q" de resistência, de luta, por dias melhores para sempre...Porém, antes, precisamos romper a casca do ovo e ir em direção ao mar como as levas e levas de tartaruguinhas ao nascer...Ás vezes, pegando logo as primeiras ondas e indo embora; Outras, no meio do caminho, precisando superar obstáculos, mesmo que, aparentemente, não tenhamos força para tanto, e daí acabemos sem esperar, de ponta-cabeça, de "patinhas" para cima... E outras, sendo as últimas a chegar, sozinhas, superando os mesmos obstáculos, mesmo  que pisoteadas por suas companheiras, porém sem desistir daquilo que instintivamente acreditam ser sua trajetória: ganhar o o mar.  E daí persistem nas ondas,  em outra, e mais outra, e outra, até que enfim superam o rimbombo de espuma e sal.

Mais uma vez, como tartaruginhas,  devolvidas pelo mar, e mesmo imaginando ficar sem um pedaço chegamos lá. Não mais do que de repente e apesar de tudo. E  essa aparente fragilidade da tartaruga torna-a mais forte para completar o que acredita ser sua trajetória...A segunda é mais uma trajetória de ressaca marítima, aonde reside a esperança de força para mais uma batalha talvez mais amena, talvez nem tanto. Porém, com o eterno gosto de vitória merecida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Queres aclarar, observar, deduzir, narrar despretenciosamene? Bem-vindo! Caso queiras apenas maliciosamente criticar, por acaso não é seu espaço, nem virtual...