segunda-feira, 27 de junho de 2016

Fugir pra onde numa segunda? Coragem!

Aí, aí, ai. Segunda nova de novo. Ouvi que passar o tempo contando os dias ou rezando para que ela chegue bem devagarinho não é vida, nem viver. Por isso que nos entorpecemos com um pouco de distração, comilança, mas nada que possamos dizer : "Oh,puxa lavem o sol..." E o que fazer? Reclamar? Sofrer por antecipação? Então tá, que venha sem esperar. E caso ainda haja algo que maxucou que vá  pra longe tudo que travou o nosso bom humor na semana que passou. Inclusive aquela briguinha de casal alheia no meio da rua que a gente vê, mas fica entre o dito " em briga de marido e mulher..." devemos sim meter a colher porque mesmo que não resoldevemos ser solidário com a urgência do outro, conhecido ou desconhecido. Só assim faremos um mundo diferente pra gente e pra os outros. E quem sabe aí sim as segundas sejam encorajadoras.

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Bem vinda as flores, os cantos dos pássaros, no coração a pulsar

Bem vindo o que estás nas flores, no canto dos pássaros, no coração a pulsar; que está na compaixão, na caridade, na paciência e no gesto de perdão.
Bem vindo o que, estás em mim, que está naquele que amo, naquele que me fere, naquele que busca a verdade.
Abençoado tudo o que é belo, bom, justo e gracioso. Venha a nós paz e justiça, fé e caridade, luz e amor.
Seja feita vontade suprema, ainda que minhas rogativas prezem mais o meu orgulho do que as minhas necessidades.
Perdoa as minhas ofensas, os meus erros, as minhas faltas. Perdoa quando se torna frio meu coração;
Perdoa-me, assim como eu possa perdoar àqueles que me ofenderam, mesmo quando meu coração esteja ferido.
E livrai-me de todo mal, de toda violência, de todo infortúnio, de toda enfermidade
Não me deixe cair nas tentações, vícios e egoísmo. Livrai-me de toda dor, de toda mágoa e de toda desilusão.
Mas, ainda sim, quando tais dificuldades se fizerem necessárias, que eu tenha força e coragem em dizer:obrigada pela lição. Que assim seja! (Adaptado Francisco de Assis)

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Que o céu, as cores e a vida faça tudo ficar infinito. Por segundas mais encorajadoras

Ritualisticamente a cada nova semana escolhemos a segunda pra deixar pra lá  algo que incomoda, mesmo sendo unanimidade a sensação da preguiça. Mas será preguiça? Ou o vazio trasmutado temporariamente em angústia, abandono, cansaço desses sentimentos juntos e misturados. Embora a imagem que nos venha a mente de abandono é a da criança em situação de rua, suas diversas variações são empurradas pra caixa de Pandora de nossa  memória, como a desproteção, o descuido ou o desapego vividos quando com nossos pais, amores, irmãos, amigos....E que retornam como numa avalanche de carência que exige do outro que tenha compaixão; que tape esse vazio, essa carência; que supra esse abandono.
Entretanto, somente nós mesmos podemos nos reconfortar, nos amar, nos cuidar sacudindo o que não presta. Então que cada segunda recomecemos pintando, dançando, desenhando, escrevendo, amando, comendo ou rezando. E que venha a segunda!!!!Com bateria recarregada do fim de semana , oh abençoado, para que possamos cuidar de nossas próprias faltas e assim nos encorajar pra "que o dia nascer feliz e o mundo inteiro acordado..."

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Que encontres alguém que ajude a editar suas memórias. Por segundas mais encorajadoras

"-Parabéns!
- Mininu tu num esquece mesmo...
-  kkk como diz o outro: "la memoria es una isla de edicion".  Então editei esse dia que me recorda uma pessoa massa, :P" 
 Selecionamos o que queremos lembrar, mas não sabemos ao certo o que esquecer ou o que lembrar...O exato ajuste do filtro que nos faz entender que lembrar o que foi ruim nos ajuda a amadurecer, mas os excessos nos torna desbotados e rabugentos. Contamos com a felicidade boba, das lembranças de domingo, dos preparativos e as comemorações dos dias dos namorados, das felicitações recebidas pelo aniversário e não só com êxitos racionalizados... A! As contradições humanas...Nessa polissemia numa perpectiva ou noutra são as brechas da memória, verdadeiras e mentirosas ao mesmo tempo,pontos de vistas cheio de símbolos e emoções, que preservarmos ao buscarmos um porto, uma zona de conforto, sanidade, romântismo... Por mais zonas de confortos, bobos, simples, fáceis...E assim as segundas aumentam suas chances de serem pequeninamente mais alegres e justo no detalhe.